Topo

Futebol


Destempero e série de polêmicas abafam auge técnico de Neymar

Guilherme Palenzuela e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em São Paulo

18/06/2015 06h00

Capitão da seleção brasileira desde a nova era Dunga, Neymar não jogou bem e foi expulso ao final da derrota por 1 a 0 para a Colômbia, nesta quarta-feira, na segunda rodada da Copa América. A expulsão resultou de 90 minutos de irritação do craque do Barcelona, em episódio finalizado  por uma bolada em Pablo Armero após discussão e uma cabeçada em Murillo, o que fez o árbitro Enrique Osses aplicar o cartão vermelho. No momento em que vive a melhor fase da carreira tecnicamente, Neymar se vê abafado por polêmicas.

Neymar vive o melhor momento da carreira tecnicamente. Aos 23 anos coroou a temporada perfeita ao lado de Lionel Messi e Luis Suárez no Barcelona com os títulos da Liga dos Campeões, do Campeonato Espanhol e da Copa do Rei. Marcou 39 gols em 51 jogos e mostrou plena evolução em relação à temporada anterior, quando fez 15 gols em 41 jogos. Houve momento recentes, porém, que se transformaram em uma série de polêmicas disciplinares do craque.

Em campo no estádio Monumental, em Santiago, no Chile, Neymar mostrou durante a derrota para a Colômbia intensa irritação. Cometeu faltas que não costuma cometer e, em momento ainda no primeiro tempo quando foi contrariado pelo árbitro, deu um soco em uma bola, acertando o chão. Reclamou muito mais do que costuma reclamar e jogou muito menos do que costuma jogar. Ao término da partida, a expulsão ilustrou o caso: com a braçadeira de capitão, ele, que já estaria suspenso da partida contra a Venezuela, domingo, pelo segundo cartão amarelo, foi expulso após a confusão com o cartão vermelho direto - está suspenso na Copa América por pelo menos dois jogos e terá a pena decidida pelo tribunal disciplinar da Conmebol entre o fim da manhã e o início da tarde desta quinta-feira.Depois, criticou a arbitragem.

Horas antes do episódio em Santiago, Neymar se viu pessoalmente afetado pela investigação da Justiça espanhola sobre sua transferência para o Barcelona, em 2013. Antes os alvos eram o clube espanhol e a empresa N&N, do jogador e de seu pai, Neymar Silva Santos. Foi aberto processo contra Neymar, seu pai, o presidente do Barcelona José Maria Bartomeu (vice na época da transferência), Luis Alvaro Ribeiro (presidente do Santos na época) e Odilio Rodrigues (vice do Santos na época). O técnico Dunga, que falou que a seleção brasileira não teve a maturidade necessária para encarar um jogo desse porte, admitiu que os conflitos da vida pessoal de Neymar podem ter influenciado o rendimento do camisa 10. "Todos nós somos seres humanos, não tem como desvincular as coisas que ocorrem na nossa vida com o profissional", falou o treinador.

Na reta final da temporada espanhola, Neymar ainda foi protagonista de uma polêmica em campo na Espanha. Autor de um drible de carretilha em um adversário na final da Copa do Rei, contra o Athletic Bilbao, o atacante causou revolta no país. O Barcelona levantou a taça de campeão, mas foram duras as palavras de Xavi, ex-capitão do time: "Neymar disse que não quer mudar sua forma de jogar. Vai ser difícil assim. Ele precisa saber ganhar e perder. Deveria refletir sobre isso, pois é um menino extraordinário e humilde, mas há essa coisa de brasileiro, que o vê como parte do show, mas aqui se vê como falta de respeito", falou ao diário Sport. Outros jogadores da equipe também reprovaram o drible por terem considerado uma atitude de desrespeito.

Pouco depois, chamou a atenção um vídeo em que o mesmo Xavi aparece empurrando o rosto de Neymar na comemoração do título da Liga dos Campeões após a vitória sobre a Juventus. Nas imagens o meio-campista afasta Neymar com as mãos. E explicou: "Estavam tentando tirar os meus sapatos e me empurrando quando estava tentando subir no ônibus. Disse a quem estava fazendo isso para parar de bobagens".

Ainda nessa temporada, e ainda em 2015, Neymar protagonizou momentos de insubordinação ao reclamar por ser substituído pelo técnico Luis Enrique. Pouco depois do surgimento do boato que o Lionel Messi não teria boa relação com o treinador foi o brasileiro quem publicamente se mostrou irritado com as alterações, algo para que o treinador nunca deu grande atenção.

O momento de polêmicas e indisciplina de Neymar contrasta com o excelente nível técnico mostrado pelo brasileiro nos últimos 12 meses, desde o fim de sua participação na Copa do Mundo. Nesta quarta-feira pela primeira vez isso de fato afetou seu rendimento - e o da seleção brasileira - na partida que pode ter rendido o fim da participação dele na competição. A decisão, segundo a Conmebol, será publicada nesta quinta-feira. 

Mais Futebol