PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Isolamento, lesões e críticas. A dura rotina de Douglas em Barcelona

João Henrique Marques

Do UOL, em Barcelona

12/12/2014 06h00

Neymar se une a Daniel Alves, que ri ao lado de Piqué por brincadeira feita com Messi. No canto, Douglas só observa. A falta de entrosamento do lateral no Barcelona é nítida e o prejudica na adaptação ao clube. A rotina do lateral brasileiro é dura, com pouca comunicação no trabalho e uma solidão que só é anestesiada quando encontra a esposa e o filho de três anos.

Pessoas que rodeiam Douglas no Barcelona comentam que a timidez do jogador é muito grande e que ele ainda está longe de dominar o idioma espanhol.

Douglas tem vida social pouco ativa. Esteve recentemente no aniversário do filho de Adriano, assim como muitos companheiros de Barcelona, e ficou mais distante com a família. Só que a vida na Catalunha não é considerada ruim pelo lateral. A esposa Janaína diz gostar da rotina e o filho do casal, Kauã, está matriculado no colégio mais conceituado da cidade.

No clube, Adriano é o melhor amigo de Douglas. As famílias se encontram para passeios em dias de folga. Mais conservadores, os dois jogadores se contrapõem à rotina mais festiva de Daniel Alves e Neymar na cidade.

O entrosamento com os companheiros de Barcelona foi prejudicado por conta de problemas de saúde que afastaram Douglas de viagens. Por mais de um mês, entre o fim de setembro e o começo de novembro, o jogador acumulou virose e duas lesões no pé esquerdo.

Em campo, foram apenas duas participações. O suficiente para que uma enxurrada de críticas fosse feita pelos jornalistas, que parecem condicionados a falar mal do jogador.

“Já tínhamos informações do Brasil de que o Douglas não era jogador para o Barcelona. E pelo pouco que o vi também não acho que seja merecedor disso”, comentou Joaquim Poquí, do Mundo Deportivo.

A perseguição dos jornalistas com Douglas no Barcelona tem sido implacável. São programas de televisão elencando falhas do jogador, charge em jornal com piada sobre o desempenho, e textos e mais textos carregados de adjetivos pejorativos.

Internamente, o prestígio de Douglas também está abalado. O treinador Luis Enrique o defende e promete mais oportunidades, mas tirou o lateral da lista de relacionados para na partida de quarta-feira diante do PSG, no Camp Nou, pela Liga dos Campeões.

“Que há jogadores que participam mais ou menos são coisas do futebol. Depois, que me façam mudar de opinião, depende deles, porque eu mudo. No ano passado, houve jogadores que não jogaram tanto e viraram titulares indiscutíveis. Eles têm que seguir trabalhando para me convencer", disse o treinador do time ao ser perguntado sobre Douglas na terça-feira, véspera da partida.
 
No elenco, Douglas  está na frente do outro lateral direito, Montoya. Catalão e cria da La Masia, a valorizada categoria de base do Barça, o concorrente goza de boa aceitação dos jornalistas. No entanto, ele foi colocado no mercado por Luis Enrique, prejudicando ainda mais o ambiente para Douglas no clube. “Não faz sentido contratar o Douglas quando se tem Daniel Alves e Montoya para a posição”, opinou o jornalista da TV 3, Quim Robert.
 
A imprensa catalã, assim como grande parte da torcida, também usa Douglas para atingir o diretor esportivo do clube, Andoni Zubizarreta. Ele tem o pedido de demissão cobrado por conta de fracassos do Barcelona no mercado – não contratação do alemão Reus e do colombiano Cuadrado e vinda do lesionado zagueiro belga Vermaelen – e é apontado como o responsável pela aquisição do lateral mesmo sem ter sido especulado.
 
Uma punição da Fifa por conta de negociação irregularidades nas categorias de base também facilitou o acordo. O Barça ficou proibido de agir no mercado por um ano a partir de julho de 2014, Douglas ganhou força pelo fato de Daniel Alves estar com contrato válido somente até o fim da temporada, e a vinda de Cuadrado ter esbarrado na exigência da Fiorentina de receber 40 milhões de euros após o jogador ter realizado boa Copa do Mundo pela Colômbia.

Só que o pagamento de 4 milhões de euros (cerca de R$ 12,5 milhões) ao São Paulo e um contrato de cinco anos são considerados imperdoáveis. A negociação com Douglas ainda tem um variável de 1,5 milhão de euros (aproximadamente R$ R$ 4,7 milhões) de acordo com o número de partidas e é tratada pela mídia local como suspeitosa por conta da participação da Traffic, que era detentora de 40% dos direitos econômicos do jogador.

A empresa havia perdido espaço no clube depois que agenciou as contratações do zagueiro Henrique e o atacante Keirrison por 24,3 milhões de euros – 8,8 o primeiro e 15,5 milhões o segundo – e viu os jogadores cumprirem longos contratos sem sequer jogarem pelo Barça, sendo emprestados a outros clubes.    

“Explique-se Zubizarreta”. Foi a manchete de uma reportagem do jornal catalão Sport, que tratava sobre a negociação de Douglas após o mesmo ter feito a segunda partida pelo Barcelona, em duelo contra o Huesca, na semana passada, pela Copa do Rei.

O Barcelona blindou Douglas e o proíbe de conceder entrevistas – as únicas foram na apresentação e para o canal oficial do clube, o Barça TV. O clube comunica que a negociação foi feita às claras e que Zubizarreta segue satisfeito com o negócio. Já os representantes da Traffic avisam que não falam sobre qualquer negociação.

Futebol