PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Copa infantil começa com homenagem a jogador brasileiro morto no Ceará

Vanessa Ruiz

Do UOL, no Rio de Janeiro

30/03/2014 19h41

A 2ª edição da Street Child World Cup, competição mundial que reúne crianças que vivem ou trabalham nas ruas, começou neste domingo com homenagens àquele que possivelmente teria sido o capitão do Brasil na competição, o garoto Rodrigo Kelton, assassinado em 14 de fevereiro em Fortaleza, Ceará

Na cerimônia de abertura do torneio, disputado por cerca de 230 jovens de 14 a 17 anos vindos de 19 países diferentes, coube a dom Orani Tempesta, cardeal-arcebispo do Rio de Janeiro, lembrar a morte de Rodrigo depois ler uma mensagem enviada especialmente para o evento pelo papa Francisco: "Convido a todos que estão aqui para recordar com muita alegria de um jovem que amava praticar esportes, em especial o futebol, e que gostaria muito de estar aqui, Rodrigo Kelton".

"Rodrigo Kelton, ex-capitão da seleção brasileira da copa de futebol de rua, que cultivava sonhos, cultivava vitórias em seu coração, foi assassinado no mesmo dia em que completou seus 14 anos. Na certeza de que o céu é seu lugar, rezemos pela sua alma", encerrou dom Orani.

A abertura do evento, sediado neste ano no Rio de Janeiro, contou com a presença de Gilberto Silva, ex-capitão da seleção brasileira. Foi lida ainda uma mensagem do príncipe William, do Reino Unido, também especial para a competição.

No decorrer da tarde, as homenagens continuaram. Na estreia do time masculino do Brasil contra o Egito, o capitão Marcio Pereira Gomes da Silva, de 16 anos, carregou um cartaz com o desenho do rosto de Rodrigo Kelton. Antes do apito inicial, foram feitos um minuto de silêncio e um minuto de aplausos.

A vitória por quatro a zero, conta Marcio, foi para o amigo: "No dia do enterro, a mãe dele pediu para nós jogarmos por ele, e foi o que nós fizemos". 

O próprio Marcio carrega em sua família uma história semelhante à de Rodrigo. Adaílton, irmão de Marcio, foi executado nas ruas da periferia de Fortaleza aos 17 anos, em 2012, em consequência do seu envolvimento em crimes. Adaílton morreu nos braços da mãe, esperando socorro, e também foi homenageado neste domingo pelo irmão. Além do cartaz para Rodrigo, Marcio entrou em campo vestindo uma camiseta com uma mensagem e uma foto de Adaílton.

O motivo da execução de Rodrigo Kelton ainda não está claro. Pessoas ligadas ao garoto acreditam que o assassinato tenha conexão com seu envolvimento em atividades criminosas no ano passado, antes de voltar a ser acompanhado pela ONG Pequeno Nazareno, parceira da Street Child World Cup.

Futebol