PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Fifa agenda reunião com Dilma em novembro e já considera Orlando Silva fora

Orlando Silva perde espaço na gestão brasileira da Copa 2014 após denúncias - Daniel Marenco/Folhapress
Orlando Silva perde espaço na gestão brasileira da Copa 2014 após denúncias Imagem: Daniel Marenco/Folhapress

Carlos Padeiro

Em Zurique (Suíça)

21/10/2011 12h04

Os principais executivos da Fifa anunciaram nesta sexta-feira que estarão no Brasil em novembro para uma reunião com a presidente Dilma Roussef. O principal assunto será a aprovação da Lei Geral da Copa, tema que tem incomodado a entidade na organização da Copa do Mundo de 2014.

Pelo discurso do presidente Joseph Blatter e do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, o ministro do Esporte Orlando Silva já é carta fora do baralho.

"Vamos ao Brasil em novembro por causa da lei, que está sendo discutida pelos parlamentares brasileiros.  Em novembro espero encontrar um novo interlocutor do governo. Estou confiante de que a presidente tomou a decisão certa", acrescentou Valcke, indicando que Dilma já decidiu afastar Orlando Silva.

Ambos não quiseram comentar a situação do ministro, cujo nome está envolvido em suposto caso de suborno e tomou conta do noticiário no Brasil.

"Não vamos responder sobre isso. É uma questão do governo brasileiro", decretou Blatter.

Nesta sexta-feira, o jornal O Estado de S.Paulo noticiou que Dilma já decidiu afastar Orlando Silva da pasta, mas a ideia é manter o seu partido, o PC do B, no comando do Ministério.

Principal representante do governo federal na organização do Mundial de 2014, o ministro é acusado por um policial militar de integrar um esquema de desvio de verbas públicas na pasta.

A presidente acompanhou à distância os depoimentos de Silva a comissões da Câmara dos Deputados e do Senado. Também colheu as opiniões de alguns ministros, como José Eduardo Cardozo (Justiça) e Ideli Salvatti (Relações Institucionais). Para a edição deste fim de semana da revista "Veja", o acusador do ministro, João Dias, prometeu provas contra a cúpula do ministério.

Esporte