PUBLICIDADE
Topo

Esporte


Preso, Edmundo se mostra tranquilo e conversa sobre a carreira com policiais

Edmundo sai da delegacia ao lado de policial para fazer exame de corpo de delito - Zanone Fraissat/Folhapress
Edmundo sai da delegacia ao lado de policial para fazer exame de corpo de delito Imagem: Zanone Fraissat/Folhapress

Daniel Neves

Em São Paulo

16/06/2011 03h17

Edmundo foi preso na madrugada de quarta para quinta em um flat na zona oeste de São Paulo

Na delegacia onde está detido desde a madrugada desta quinta-feira, Edmundo foi colocado em uma sala reserva e chegou a bater papo com policias sobre diversos temas. O ex-jogador aguarda exames e a documentação para ser transferido ao Rio de Janeiro.

No papo com as autoridades, o atual comentarista da Band conversou sobre sua função na TV, a carreira como jogador, pelos clubes onde jogou e até sobre seus filhos. Disse também que tem ficado mais em São Paulo por exigência da nova profissão. Mas admitiu sua preferência pelo Rio de Janeiro.

O ex-jogador foi preso à 0h30 de quinta-feira em um flat na zona oeste de São Paulo. Não mostrou resistência e se entregou sem qualquer problema. Ele era procurado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro desde a terça-feira, quando o juiz Carlos Eduardo Carvalho de Figueiredo ordenou a prisão por conta de um acidente de carro na Lagoa Rodrigo de Freitas na madrugada de 2 de dezembro de 1995.

COMO FOI A PRISÃO

Edmundo estava em um flat no bairro do Itaim Bibi e recebeu ordem de prisão na porta do seu apartamento. A polícia recebeu uma denúncia anônima na noite desta quarta e foi auxiliada pelo recepcionante e pelo segurança do flat até chegar ao ex-jogador no prédio que fica na rua Amauri.

Edmundo já havia sido condenado a quatro anos e meio de prisão em 1999, em regime semi-aberto, mas ainda respondia em liberdade. A batida de carro resultou nas mortes de Joana Maria Martins Couto, Carlos Frederico Britis Tinoco e Alessandra Cristini Pericier Perrota. Ainda ficaram feridas Roberta Rodrigues de Barros Campos, Débora Ferreira da Silva e Natascha Marinho Ketzer.

Na noite do acidente, Edmundo estava em seu carro com mais quatro amigas antes de bater no Uno. Uma das companheiras do ex-atleta morreu na tragédia (Joana), assim como dois dos passageiros do outro veículo (Carlos e Alessandra).

PRISÃO DE EDMUNDO DIVIDE PAULISTANOS

Esporte