PUBLICIDADE
Topo

Notícias em primeira mão dos bastidores do futebol, informações exclusivas sobre o seu time, novidades do mercado da bola e o melhor do jornalismo esportivo em um só lugar. Só para assinantes UOL!

Valorizado no São Paulo, Luciano tem multa de 40 mi de euros para exterior

Rubens Chiri / saopaulofc.net
Imagem: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Do UOL, em São Paulo

15/04/2021 04h00

Luciano é o principal nome do São Paulo desde a temporada passada, quando marcou 21 gols e ofereceu sete assistências em jogos do Paulista, do Brasileiro e da Copa do Brasil. Antes mesmo do sucesso do atleta no Morumbi, o clube já havia estipulado uma multa elevada para negociá-lo com o futebol estrangeiro. O vínculo do atacante de 27 anos tem cláusula rescisória de 40 milhões de euros (R$ 270,9 milhões, na cotação atual).

A multa rescisória para o futebol nacional é calculada de acordo com os salários do jogador e o tempo de contrato. O clube brasileiro que quiser contar com Luciano no mercado terá que desembolsar R$ 80 milhões, conforme estabelecido no acordo que assinou com o Tricolor paulista. O vínculo do atacante se encerra em 31 de dezembro de 2022. Ele chegou ao Morumbi em agosto do ano passado. (Por Thiago Fernandes)

Jogadores se reúnem com senador para preservar direitos em projeto de lei

A Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf) e alguns jogadores se reuniram ontem com o senador Carlos Portinho (PL-RJ), que está retomando a discussão em torno de um projeto de lei para a transformação de clubes em empresas. A pauta foi a preservação de direitos dos atletas em uma eventual transição dos times de futebol para sociedades anônimas. Participaram nomes como o ex-centroavante Washington Mascarenhas, diretor financeiro da Fenapaf, Fernando Prass, do conselho fiscal, Thaís Picarte, do futebol feminino, além de atletas em atividade como o flamenguista Diego. Na pauta estiveram temas como a manutenção de uma parcela obrigatória da remuneração de jogadores como salário em carteira, a manutenção da obrigatoriedade de pagamento de clubes a atletas em caso de dispensa antes do final do contrato e a criação de um plano para que agremiações que façam a transição honrem dívidas trabalhistas. (Por Pedro Lopes)

Agente alega participação em R$ 351 milhões arrecadados pelo Atlético-MG

O agente André Cury, que cobra R$ 35 milhões em ações judiciais do Atlético-MG, alega participações em vendas importantes do clube no mercado da bola. O empresário explica que os negócios que contaram com a sua intermediação geraram 52 milhões de euros (cerca R$ 351 milhões, na cotação atual) ao Galo. Ele se responsabilizou por intermediar transferências de jogadores relevantes, como as vendas de Lucas Pratto para o São Paulo e Emerson para o Barcelona. Os negócios envolvendo as saídas de Douglas Santos, Rómulo Otero, Maicosuel, Luan e Marcos Rocha também contaram com a participação do representante. As transações envolveram empréstimos e saídas em definitivo. (Por Guilherme Piu e Thiago Fernandes)

Santos quase teve muretas e calçadões da cidade estampados no uniforme

Em comemoração aos 109 anos do Santos, a diretoria promoveu o lançamento das camisas 1 e 2 ontem. Junto com a Umbro, o clube definiu que os novos uniformes teriam o símbolo de raio na estampa para reafirmar a base e a quantidade de "Meninos da Vila" lançados até aqui, como Neymar, Rodrygo, dentre tantos outros. Porém, antes dessa definição ocorrer, o Peixe quase teve os calçadões e muretas da cidade de Santos escolhidos para seu manto. Por trás do conceito do raio houve uma longa negociação com a Umbro, que abraçou a ideia, mesmo diante dos padrões de coleções e equipe própria de desenvolvimento. (Por Gabriela Brino)

Pequenos do Rio culpam Record por queda de receitas no Carioca

A mudança nos direitos de transmissão do Carioca começa a virar motivo de reclamação para os clubes pequenos do Rio. Após anos com a Globo, o Estadual passou para a Record, e a queda de receitas foi brutal. A emissora carioca ofereceu mais em dinheiro para 2021, mas exigiu exclusividade. O Flamengo foi contra e contou com apoio dos clubes pequenos. Sem saída, Fluminense, Vasco e Botafogo, deixaram a Globo. Mas em vez dos R$ 120 milhões que eram pagos até o ano passado, pouco mais de R$ 3 milhões sobraram para todos os clubes. Os quatro grandes, claro, ficam com a maior parte e ainda firmaram acordos na rescisão com a antiga detentora dos direitos. Já os pequenos viram sua maior fonte de renda secar. A situação gera preocupação, mas não o suficiente para diminuir o apoio deles a Rubens Lopes, presidente da Ferj. Eles culpam a Record pela queda. Mas há quem admita que a ideia vendida pelo Fla na teoria se mostrou bem diferente na prática. (Por Caio Blois)

Globo e ESPN encerram processo de ex-contador do Botafogo

A Justiça de São Paulo homologou no início de abril um acordo entre Globo e ESPN Brasil para encerrar um processo movido por um ex-contador do Botafogo. Washington Luiz Moura processou as emissoras por noticiarem uma acusação de que ele estaria supostamente envolvido em fraudes fiscais em prestação de contas de uma disputa presidencial no clube, em 2008. Posteriormente, ficou provado que ele era inocente. Em primeira instância, em 2019, a Justiça julgou o caso improcedente. O contador recorreu, mas, em segunda instância, chegou-se a uma conciliação entre as partes. O processo foi extinto. Os valores ficaram em segredo de Justiça. (Por Gabriel Vaquer)