PUBLICIDADE
Topo

Notícias em primeira mão dos bastidores do futebol, informações exclusivas sobre o seu time, novidades do mercado da bola e o melhor do jornalismo esportivo em um só lugar. Só para assinantes UOL!

Palmeiras gasta R$ 1 milhão por mês com aumentos para manter time campeão

Diretor Alexandre Mattos se esforçou para manter principais nomes do time campeão de 2018 e agora corre para "fazer caixa" - Cesar Greco/Palmeiras
Diretor Alexandre Mattos se esforçou para manter principais nomes do time campeão de 2018 e agora corre para "fazer caixa" Imagem: Cesar Greco/Palmeiras

Do UOL, em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Paris (França)

19/02/2019 04h00

Para manter seus principais atletas do time campeão brasileiro de 2018 para 2019, o Palmeiras precisou abrir os cofres. Para renovar com Dudu, Bruno Henrique, Victor Luís e Thiago Santos, o Alviverde aumentou a sua folha salarial em mais de R$ 600 mil - considerando apenas a parte registrada em carteira. Com luvas e direitos de imagem, esse total está na casa de R$ 1 milhão. Além disso, o time precisou cumprir o contrato com Miguel Borja ao dar um aumento de R$ 45 mil para o atacante colombiano. Jean também teve seu contrato renovado, mas não ganhou aumento.

Para aliviar um pouco os gastos, o Alviverde mandou Alexandre Mattos para a Europa em busca de negociações que possam render lucro ao clube. Garotos da base podem ser negociados, a exemplo de Vitão, especulado pelo Jornal Marca como reforço para o Barcelona. Além disso, o clube tenta dispensar atletas que não têm espaço, como Artur e Allione, recém-emprestados. Nico Freire, que ganhava R$ 170 mil e nunca jogou uma partida oficial, foi dispensado. Dívidas trabalhistas de outra gestão também pesam na folha: só a compra de Wesley deve custar R$ 40 milhões até agosto. (Por Danilo Lavieri)

NETO: "QUAL PALMEIRAS VAI BRIGAR POR TÍTULOS MUNDIAIS?"

Band Esportes

Fluminense tem dívida de R$ 1,4 milhão com o Maracanã

A crise que culminou na disputa pelo setor Sul do Maracanã é apenas mais um capítulo de uma relação marcada por dívidas e insatisfações mútuas entre a concessionária e o Fluminense. Por conta de alugueis atrasados, a dívida tricolor com a concessionária que administra o estádio já chega a R$ 1,4 milhão, o que tem causado atritos na relação e notificações extrajudiciais ao clube. O Flu não nega que há a pendência e trabalha para zerar o quanto antes o débito. O Fluminense entende que o Maracanã descumpriu o contra vigente, já que os dirigentes do clube afirmam estarem amparados por uma cláusula que garante o "lado da discórdia" ao seu torcedor. (Por Leo Burlá)

Com apoio de Abad, Flu toca em "ferida" em manifesto anti-homofobia

A nota do Fluminense em resposta aos ataques homofóbicos do vascaíno Fellipe Bastos não foi um ato isolado de posicionamento do clube. A manifestação quebrou um tabu. Até o ano passado, era "proibido" entrar em assuntos desse tipo e pensar em qualquer resposta. Se esquivar era sempre a primeira opção em situações dessa natureza. Ontem, no entanto, o presidente Pedro Abad não pensou duas vezes e quebrou um paradigma tricolor. Tão logo recebeu a sugestão, que foi costurada pelos departamentos de comunicação e de marketing do clube, o dirigente deu o sinal verde para a postagem e participou diretamente da aprovação do conteúdo. Houve a decisão de dar voz a ao debate e levantar a bandeira da igualdade de gêneros. O Flu teve a preocupação de não se dirigir diretamente ao jogador e entendeu que o texto deveria ter um caráter de "manifesto" por entender que o debate vai muito além da atitude isolada do volante. A postagem tricolor viralizou e a hashtag #timedetodos ficou nos Trending Topics do Twitter. (Por Leo Burlá e Pedro Ivo Almeida)

Daniel Alves se reúne com PSG e negocia renovação contratual

Daniel Alves tem reunião marcada essa semana para renovação contratual com o Paris Saint-Germain. O brasileiro tem contrato com o clube até o fim da temporada, e já negocia a extensão até o final da temporada 2019/2020. A negociação é conduzida pela empresária do jogador, Dinorah Santa Ana. Pesa em favor de Daniel Alves o bom relacionamento com o presidente do clube, Nasser Al-Khelaïfi. Com ele, o lateral brasileiro, por exemplo, foi a um jogo do Brasil na Copa do Mundo - vitória por 2 a 0 contra a Sérvia na fase de grupos. Seguir no PSG foi eleito como a prioridade do jogador para a próxima temporada. (Por João Henrique Marques)

Atlético-MG tenta parcelar débito de R$ 3,7 mi por compra de Chará

O Atlético-MG ainda busca um acordo para pagar o Junior Barranquilla, da Colômbia, a parcela de um milhão de dólares (R$ 3,7 milhões) em atraso pela compra de Yimmi Chará. Os mineiros querem evitar que o caso avance na Fifa e tentam parcelar o montante para chegar a um acordo. A princípio, a ideia não agrada os colombianos, que querem a manutenção do acordo firmado em julho do ano passado entre as diretorias. O Galo, por meio de um empréstimo de Ricardo Guimarães, proprietário do BMG e ex-presidente do clube, pagou três milhões de dólares (R$ 11,1 milhões) pelo acordo. Além da parcela em atraso, há outras duas parcelas de um milhão de dólares cada. (Por Thiago Fernandes)

Léo Moura participa de negociações e leva amigos para o Grêmio

Léo Moura não é apenas homem de confiança de Renato Gaúcho em campo. Fora dele, o lateral direito participa diretamente da chegada de reforços. Foi assim quando "indicou" Cortez, opinou sobre Rômulo, Paulo Victor, defendeu Vizeu e mais recentemente com Diego Tardelli. Antes de conversar com Renato, que pressionou por sua contratação, o atacante ligou para Léo Moura, que fez o meio de campo e passou o contato dele para o treinador. (Por Marinho Saldanha)