PUBLICIDADE
Topo

Notícias em primeira mão dos bastidores do futebol, informações exclusivas sobre o seu time, novidades do mercado da bola e o melhor do jornalismo esportivo em um só lugar. Só para assinantes UOL!

Palmeiras descarta Topper e deve ficar entre Puma e Adidas para 2019

Palmeiras de Borja está no último ano de contrato com a Adidas e pode trocá-la pela Puma - Daniel Vorley/AGIF
Palmeiras de Borja está no último ano de contrato com a Adidas e pode trocá-la pela Puma
Imagem: Daniel Vorley/AGIF

Do UOL, em São Paulo

07/02/2018 04h00

O Palmeiras luta contra o relógio e quer acertar o mais rápido possível o seu fornecimento de materiais esportivos para 2019. Neste intuito, o time definiu que, se não fechar com a Adidas, assinará com a Puma, descartando a Topper, conforme apurou a De Primeira. Nesta semana, o time tem reuniões com os dois interessados.

Por contrato, os alemães têm direito a cobrir qualquer oferta da concorrência. O detalhe é que o prazo de resposta já está estourado, mas os palmeirenses resolveram dar uma tolerância. A principal discussão - seja para continuar com a Adidas ou trocar pela Puma - reside na forma que o contrato será feito. O Palmeiras quer aumentar o seu ganho em cima das vendas de material, os chamados royalties. (Por Danilo Lavieri)

Primeira Liga vai virar toda mata-mata

Membros da Primeira Liga se reuniram na última segunda-feira para discutir mudanças no sistema de disputa da competição nos próximos três anos. A primeira diretriz aprovada diz respeito à mudança no formato de disputa, com a extinção da fase de grupos e na criação de uma competição mata-mata, com 16 clubes indo das oitavas até a final.

Há, também, uma conversa para que a disputa seja feita durante o Mundial, quando o Brasileirão estará parado. Essa foi a primeira reunião sob o comando de Marcus Salum, presidente do América-MG e, agora, da Liga, substituindo Gilvan de Pinho Tavares, ex-mandatário do Cruzeiro. (Por Danilo Lavieri)

Corinthians: Pressionado por não plantar mudas de árvore

O Corinthians está perto de sofrer novo bloqueio judicial por não cumprir um acordo firmado em fevereiro de 2001. Nele, o clube se comprometeu a plantar pouco mais de 76 mil mudas de árvore no entorno do CT Joaquim Grava como compensação pelo recebimento do terreno. O prazo dado era de 12 meses, mas o trabalho ainda não foi realizado mesmo depois de 17 anos. Segundo determinação da Justiça, o Estado irá contratar uma empresa especializada para cumprir a contrapartida. O Corinthians, então, será cobrado e, caso não pague o valor de forma espontânea, sofrerá o novo bloqueio. O clube já viu R$ 2 milhões serem retidos após a soma de uma multa diária. "O assunto está em tratativas. O Corinthians mantém reuniões com os órgãos para poder equacionar isso. Esse assunto não é tão simples. O plantio exige a definição da área, como será plantado e quais condições", disse Diógenes Melo, advogado do Corinthians. (Por Diego Salgado)

Corinthians: Edilson pede adicional noturno e de concentração

O lateral-direito Edilson, atualmente no Cruzeiro, move ação contra o Corinthians. O jogador pede valores referentes a adicional noturno, direito de arena, e períodos em concentração com o elenco, em um processo que gira em torno de R$ 800 mil. A 26ª Vara do Trabalho de São Paulo marcou audiência entre as partes para 7 de março. Advogado de Edilson, Leonardo Laporta diz que o Corinthians não estabelecia em contrato os valores relativos ao período concentrado e cita o artigo 28, parágrafo 4, da Lei Pelé (adicionais de concentração), para justificar o ingresso aos tribunais. "São aquelas tradicionais ações de jogadores envolvendo os direitos de arena. Vamos cuidar desse assunto para ver se existe uma forma de solucionar a ação que ele propôs. Estamos ciente, mas ainda não chegou a hora de cuidar desse caso", disse Diógenes Melo, advogado do Corinthians. (Por Bruno Thadeu e Diego Salgado)

São Paulo: Visto adia contrato "cheio" de Tréllez

Santiago Tréllez foi anunciado pelo São Paulo na semana passada com quatro anos de contrato, até o fim de 2021. Só que o vínculo do colombiano foi registrado na CBF com duração somente até 12 de julho de 2019. Essa diferença nas datas deve-se a uma burocracia com o visto de trabalho do atleta estrangeiro no Brasil. Quando o visto puder ser renovado, no próximo ano, a validade original do contrato com o São Paulo será oficializada. O mesmo acontece com o equatoriano Robert Arboleda, que assinou até meados de 2021 e tem vínculo registrado somente até 5 de julho de 2019. A renovação, nos dois casos, é automática. (Por Bruno Grossi)

Inter terá de esperar para ter promessa argentina

O Internacional procurou o Huracán e tentou acordo para conseguiu liberação de Martin Sarrafiore, 21 anos, antes do término do contrato. O clube argentino, contudo, sequer topou ouvir a proposta de compensação do Colorado e respondeu com 'não' para a tratativa. Desta forma, Sarrafiore seguirá no país vizinho até julho e só depois se apresenta ao Inter. O Colorado assinou pré-contrato com o meia-atacante no início do ano, após bom desempenho do Huracán na Copa RS sub-20. Capitão dos times de base do time argentino, o jogador fará parte do chamado 'Inter B' assim que chegar, mas o plano é usá-lo ainda em 2018 no time principal. (Por Jeremias Werneck)