PUBLICIDADE
Topo

Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menon: Ceni quer recuperar o São Paulo ou Pablo?

Rogério Ceni, durante treino do São Paulo no CCT da Barra Funda - Erico Leonan / saopaulofc
Rogério Ceni, durante treino do São Paulo no CCT da Barra Funda Imagem: Erico Leonan / saopaulofc
Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

24/10/2021 21h32Atualizada em 24/10/2021 21h32

Tenho a informação que Rogério Ceni assumiu a missão de recuperar Pablo. Por isso, não vacilou em escalá-lo contra o Corinthians, o que valeu aumento de salário e prorrogação de contrato com o artilheiro de pólvora molhada. E de 7 milhões de dólares.

Louvável a atitude de Rogério, mas sua principal missão é recuperar o São Paulo. E fica mais difícil com Pablo em campo. Ele é o artilheiro da temporada, é bom profissional e participativo em campo, mas, por azar ou não, tem errado gols decisivos. Foi assim contra o Palmeiras na Libertadores e agora contra o Bragantino.

As tentativas desesperadas de explicar o erro a Orejuela e Luciano são infrutíferas. Não tem justificativa.

Outro erro de Ceni é insistir em Vitor Bueno como atacante, fazendo pivô. Não deu certo com Crespo. Vai dar agora?

Rogério precisa ter foco no que deu certo: a atitude agressiva contra o Corinthians, com muita marcação e suor.

E deixar de insistir com Pablo e Bueno.

A seu favor, é preciso dizer que nunca pôde escalar Luan e Rigoni. E que Calleri não jogou em Bragança.

Outro ponto: Miranda fez grande partida e errou no gol.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL