Topo

Futebol


Palmeiras vence Corinthians nos pênaltis e vai à final do Paulistão

Danilo Lavieri e Guilherme Palenzuela

Do UOL, em São Paulo

19/04/2015 18h18Atualizada em 19/04/2015 21h08

O Palmeiras está na final do Campeonato Paulista. Depois de sofrer a virada, o time de Oswaldo de Oliveira conseguiu o empate por 2 a 2 e avançou ao vencer o Corinthians nos pênaltis por 6 a 5, no Itaquerão, na tarde deste domingo (19).

Os pênaltis palmeirenses foram convertidos por Rafael Marques, Victor Ramos, Cleiton Xavier, Dudu, Kelvin e Jackson. Robinho isolou por cima de Cássio. Enquanto isso, o Corinthians conseguiu passar por Fernando Prass nas batidas de Fábio Santos, Renato Augusto, Fagner, Ralf e Gil mas parou quando Elias e Petros bateram (veja aqui a ordem das cobranças).

Agora, o Palmeiras vai enfrentar o Santos, que derrotou o São Paulo por 2 a 1. O primeiro jogo será no próximo domingo, dia 26, no Allianz Parque. O segundo será dia 3 de maio, provavelmente na Vila Belmiro. Uma final Santos x Palmeiras não acontecia desde 1960.

Além da eliminação em casa, o Corinthians deixa o Paulistão-2015 invicto e com a melhor campanha.

Fases do jogo: O jogo começou equilibrado, com as duas equipes errando muito na armação da jogada para concluir a jogada. O gol aos 13 minutos veio com Victor Ramos aproveitando bobeira da zaga após batida de escanteio. A bola quicou na pequena área, e o zagueiro palmeirense encheu o pé sem dar chances para Cássio. A partir daí, o Palmeiras se mostrou completamente desorganizado em campo.

O esquema armado por Oswaldo, sem uma referência, deixava o time confuso. Dudu era a única alternativa pela esquerda, tentando ganhar jogadas de Fagner. O Corinthians passou a tomar conta do jogo, mas também parando na hora do último toque. O empate veio em jogada semelhante, com cruzamento de Jadson e Danilo desviando de cabeça. A virada veio pouco tempo depois, com Mendonza recebendo a bola na entrada da área. Ele teve tempo para pensar, medir o chute e acertar o canto esquerdo de Prass para concretizar a virada. 

No segundo tempo, a tentativa de Oswaldo foi por colocar Cleiton Xavier no lugar de Lucas. Pendurado, o lateral deixou a sua posição para Gabriel, que estava de volante. Robinho foi recuado para volante, e Cleiton fazia dupla com Valdivia na armação. O Palmeiras voltou melhor e praticamente dominou as ações nos primeiros 15 minutos. Dudu chegou a enfiar bola na trave de Cássio após belíssima bola de Cleiton. 

O Corinthians respondeu só aos 20 minutos em outra bola aérea. Vagner Love cabeceou no contrapé de Prass e exigiu boa defesa do palmeirense. O Palmeiras, no entanto, estava melhor no jogo. Oswaldo ainda colocou sua equipe para frente, com Kelvin atuando como lateral e Gabriel Jesus no lugar de Valdivia. E deu certo. Dudu cruzou da esquerda no segundo pau, para Rafael Marques entrar de peixinho e empatar a partida. O jogo, então, passou a ter os times com mais medo de sofrer o gol de eliminação do que vontade para buscar a classificação. A vaga precisou ser decidida nos pênaltis. 

O melhor: O clássico. Difícil escolher apenas um para ser melhor. Oswaldo fez boas substituições, Danilo voltou a marcar em clássico, Rafael Marques foi decisivo, Cleiton Xavier mudou a partida... E as torcidas se comportaram bem na Arena Corinthians.

O pior: Wellington. Não é culpa dele ter atuado aberto como lateral, mas o zagueiro não conseguiu acertar nenhuma jogada e, por muitas vezes, era presa fácil dos atacantes alvinegros. 

Para lembrar:
Homenagem. As organizadas corintianas ficaram por cerca de 10 minutos em silêncio no início da partida. Depois, juntas, cantaram o nome da Pavilhão 9. Foi esse grupo que sofreu com uma chacina na noite do último sábado. Oito pessoas morreram.

Em 1993. A torcida do Palmeiras lotou seu espaço e fez um mosaico colocando o número em 93, para lembrar a vitória na final do Paulista daquele ano, quando o Palmeiras saiu  de uma fila ao vencer o Corinthians por 4 a 0. 

Tabu. O Corinthians está há dez jogos sem perder do Palmeiras. Esse é a maior sequência da história alvinegra no dérbi. O recorde ainda é palmeirense: 12 jogos sem perder. 

1 milhão. Desde o evento teste Corinthians x Corinthians, a Arena contabilizou neste domingo o número de 1 milhão de pagantes nas partidas realizadas. 

Gol 500! O Palmeiras marcou seu gol de número 500 em dérbis. O nome do feito foi Rafael Marques. O maior artilheiro do confronto é Heitor, que tem 16 gols. Ele jogou até os anos 1930. 

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 2 X 2 PALMEIRAS

Data: 19 de abril de 2015, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Público pagante: 38.457 pessoas
Renda bruta: R$ 3.194.302,50
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Alex Ang Ribeiro
Cartões amarelos: Lucas e Arouca (PAL); Fagner (COR)
Gols: Victor Ramos, aos 13 minutos do 1º T; Danilo, aos 33 minutos e Mendonza, aos 44 minutos do 1º T. Rafael Marques, aos 29 mintuos do 2º T

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Fábio Santos; Ralf e Bruno Henrique (Petros); Danilo, Jadson (Renato Augusto) e Mendonza; Vagner Love (Elias)
Técnico: Tite

PALMEIRAS: Prass; Lucas (Cleiton Xavier), Jackson, Victor Ramos e Wellington (Kelvin); Gabriel e Arouca; Dudu, Robinho e Valdivia (Gabriel Jesus); Rafael Marques
Técnico: Oswaldo de Oliveira

Mais Futebol