Topo

Esporte


Liverpool abre mão de Shaqiri para evitar ódio político em Marakana sérvio

Shaqiri
Shaqiri 'paga' por polêmica da Copa do Mundo e é poupado de viagem à Sérvia Imagem: PAUL ELLIS / AFP

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

06/11/2018 04h00

O confronto entre Estrela Vermelha e Liverpool, nesta terça-feira (6), surgiu como uma bomba-relógio na fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa, mas o time inglês tenta atenuar o clima hostil que deve encontrar na Sérvia. Shaqiri foi deixado de fora da viagem por ter provocado os sérvios na Copa do Mundo, mas Alisson, Firmino e cia. devem ser recebidos com muita intimidação no ‘Marakana’ — o quase xará do estádio brasileiro.

A história entre Shaqiri e Sérvia foi o maior incidente político da Copa do Mundo. O meia tem raízes albanesas, etnia que é majoritária no Kosovo (nação que ainda luta pelo reconhecimento internacional) e de uma forma ou de outra é historicamente perseguida na Sérvia — motivo pelo qual a família do próprio Shaqiri migrou para a Suíça. Eis que, na fase de grupos do Mundial, ele usou a bandeira kosovar na chuteira e, ao marcar um gol, comemorou com um símbolo de orgulho albanês.

O meia foi cortado do jogo pelo Liverpool, que tenta evitar (ou ao menos diminuir) o desgaste de uma recepção agressiva ao Shaqiri e ao elenco como um todo. “Vamos a Belgrado como um time de futebol para jogar futebol”, resumiu o técnico Jurgen Klopp ao responder sobre o tema. “Temos ouvido e lido especulações sobre qual recepção Shaqiri receberia e, ainda que não tenhamos ideia do que possa acontecer, queremos estar 100% focados em futebol e sem ter que pensar em qualquer outra coisa.”

Marakana, nome popular do estádio Rajko Mitic, ganhou tal apelido pela grandeza - AFP PHOTO / ANDREJ ISAKOVIC
Marakana, nome popular do estádio Rajko Mitic, ganhou tal apelido pela grandeza
Imagem: AFP PHOTO / ANDREJ ISAKOVIC
Mesmo sem Shaqiri, o Liverpool não deve ser bem tratado pela torcida do Estrela Vermelha. A ausência do 'suíço-kosovar' pode também voltar olhares ao zagueiro Dejan Lovren que, como praticamente todo croata, pode virar alvo dos sérvios mais belicosos — os países vivem tensão diplomática desde os tempos de Iugoslávia. No basquete, por exemplo, tal conflito já separou atletas que se consideravam irmãos.

O Marakana é considerado um dos estádios mais hostis da Europa, com torcedores extremamente participativos e um túnel assustador, cheio de recados pouco convidativos aos atletas visitantes desde o vestiário até o campo. Um vídeo gravado em 2015, antes de um clássico com o Partizan, mostra exatamente o caminho percorrido pelos jogadores (assista mais abaixo).

Estrela Vermelha e Liverpool se enfrentam a partir das 15h55 (de Brasília) desta terça-feira. O time inglês lidera o grupo C da Liga dos Campeões com seis pontos, seguido por Napoli (cinco) e PSG (quatro); a equipe sérvia tem apenas um ponto. 

Mais Esporte