PUBLICIDADE
Topo

Santos

Santos se recupera e ataque tem melhor início desde time de Pelé

Ataque do Santos do técnico Joege Sampaoli tem o melhor início em mais de 50 anos, com 19 gols marcados - Ivan Storti/Santos FC
Ataque do Santos do técnico Joege Sampaoli tem o melhor início em mais de 50 anos, com 19 gols marcados Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

07/02/2019 04h00

Se sofreu uma goleada no Campeonato Paulista, o Santos do técnico Jorge Sampaoli deu o troco com sobras na última quarta-feira (6) na Copa do Brasil. O Peixe provou a força de seu ataque e aplicou 7 a 1 pra cima do Altos-PI. Com a chuva de gols, a equipe alcançou uma marca que não conseguia desde os tempos em que o Rei Pelé ainda vestia a camisa alvinegra.

Neste início de temporada, o Santos marcou 19 gols nas primeiras seis partidas, número que foi alcançado pela última vez em 1964, com o esquadrão que era atual bicampeão mundial de clubes - 1962 e 1963. Naquela época o Peixe realizava uma série de amistosos, mas contando apenas jogos oficias, o time de Pelé e companhia anotou os mesmos 19 gols nas primeiras seis partidas do ano.

Leia também

Os artilheiros do Peixe nesta temporada são os meias Jean Mota e Carlos Sánchez e o atacante Derlis González, todos com quatro gols anotados. Em 1964, o maior goleador dos seis primeiros jogos foi, como não poderia ser diferente, o Rei Pelé, com nove gols, seguido por Pepe, com quatro, e Coutinho, com três.

Mesmo os melhores times recentes do Santos não conseguiram tal feito. O Peixe de 2011, campeão da Copa Libertadores da América, chegou perto ao anotar 18 tentos nas primeiras seis partidas. Os times de 2001 e 2003 também se aproximaram com 16, seguidos pelas equipes de 2010 e 2014, que balançaram as redes 15 vezes.

O esquema tático do técnico Jorge Sampaoli, implantado no time há apenas um mês, mas treinado à exaustão durante a pré-temporada em dois períodos na maioria dos dias, começa a render frutos. Com exceção da partida contra o Ituano, na qual o time esteve irreconhecível, o Santos vem dominando as ações de todos os jogos e colocando seu ritmo na partida.

Além da posse de bola, definida pelo argentino como "amor pelo balón", o Santos vem se caracterizando por atuar com linhas altas, sempre em cima do adversário. Sampaoli costuma treinar o "perde, pressiona" que consiste em dar pressão no adversário com mais de um jogador assim que ocorre a perda da posse da bola para recuperá-la o quanto antes.

O time do técnico argentino vai ter a oportunidade de até mesmo superar a marca do time de 1964 neste sábado, às 17h, quando recebe o Mirassol no Pacaembu, em São Paulo, pela sexta rodada do Campeonato Paulista. Para isso, precisaria vencer o clube do interior do estado por mais de dois gols de diferença.

Mauro Beting comenta massacre do Santos sobre o Altos do Piauí

UOL Esporte

Santos