PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Valentim revê ideia de Cuca e monta "operação Borja" para ajudar colombiano

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

31/10/2017 04h00

Autor de dois gols no empate por 2 a 2 com o Cruzeiro, Borja tenta respirar novos ares no Palmeiras. E está contando com a ajuda de Alberto Valentim e os demais jogadores para isso. Se na Era Cuca a instrução era “se adaptar ao estilo de jogo do time”, com o novo treinador, a orientação é que o time crie jogadas para que o colombiano possa atuar do jeito que tem melhor qualidade.

Borja não era titular por dois jogos consecutivos há quatro meses, quando ele foi titular contra o Grêmio, pelo Brasileiro, e Barcelona, pela Libertadores. Ao todo, o atacante tem 40 jogos pelo Palmeiras, sendo 19 como titular. Marcou dez gols no período e ouviu de seu ex-treinador uma promessa não cumprida de ter sequência de chances.

“O Borja tem se dedicado muito para o que temos de ideia de jogo, para o que estamos procurando. E quero obedecer às características dele. É explorar a velocidade, as diagonais, deixar ele fazer os pivôs e jogar no vazio. Ele está fazendo isso muito bem. É um salto perto do que não estava conseguindo fazer há um tempo”, explicou.

Cuca sempre reforçou que os atletas precisavam se adaptar ao estilo de jogo que considerava ideal. Valentim reforça que tem seu estilo de jogo preferido, mas ressalta que os atletas também precisam atuar da melhor forma.

Com o ex-técnico, Deyverson era o favorito para a posição porque conseguia recompor bastante e ajudar na fase defensiva. Atualmente, Borja também ajuda neste sentido, mas sua liberdade para se movimentar na área mudou. É importante destacar, no entanto, que ele só virou titular pela lesão de Willian.

“Quando eu monto uma equipe do jeito que eu gosto, eu obedeço a alguns conceitos, mas eu preciso analisar as características do jogador. A gente precisa criar situações para ele. Às vezes, ele vem fazer um pivô, mas ele precisa ter espaço para isso, para se sentir perto da área, para tentar fazer o gol. E mesmo na defesa ele tem ajudado muito”, explicou.

“Estou conversando muito com ele, em relação ao comportamento dele dentro de campo, da dinâmica de movimentação. E peço para que ele esteja sempre atento para as jogadas e também para a parte tática”, finalizou.

Contra o Corinthians, Borja deve ser titular novamente e completar a sua sequência de três jogos. Recentemente, ele deu entrevista à Rádio Caracol afirmando que toparia voltar à Colômbia caso não tivesse novas oportunidades no Alviverde.

Esporte