PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Hamilton fala sobre apoio após ataques racistas: "Não me senti sozinho"

Lewis Hamilton, da Mercedes, durante a coletiva de imprensa na prévia do GP da Hungria - Florion Goga - Pool/Getty Images
Lewis Hamilton, da Mercedes, durante a coletiva de imprensa na prévia do GP da Hungria Imagem: Florion Goga - Pool/Getty Images

Colaboração para o UOL

29/07/2021 18h49

Lewis Hamilton falou pela primeira vez sobre os ataques racistas que sofreu nas redes sociais após a batida com Max Verstappen, no GP da Inglaterra.

Após a etapa em Silverstone, as redes sociais do heptacampeão mundial foram invadidas por 'torcedores' do piloto holandês deixando comentários com a figurinha de um macaco. A Fórmula 1, a FIA, todas as equipes de grid e mais milhares de fãs ao redor do mundo se manifestaram e entraram em ação conjunta para que os culpados fossem localizados e punidos.

Agora, antes do GP da Hungria, Hamilton falou pela primeira vez sobre o apoio que recebeu. O inglês se disse emocionado e que foi incrível ver as manifestações. "Eu senti, pela primeira vez, que não estava sozinho. Porque todos os 27 anos (que passei) no esporte, ninguém falava nada", disse o piloto da Mercedes.

Hamilton ainda lembrou do que passou em 2008, nos testes de pré-temporada, quando torcedores espanhóis pintaram suas caras de preto e levaram faixas ofendendo o britânico, que no ano anterior teve forte rivalidade com Fernando Alonso. "Quando aconteceu, ninguém disse nada. Então é maravilhoso ver os passos que estamos dando", completou Hamilton.

Por fim o piloto do carro 44 disse que o abuso racial não é algo novo para ele, mas que isso o motiva ainda mais. "Se eu preciso estar no fim dessa linha para que as pessoas se conscientizem, é parte da minha jornada. É por isso que eu estou aqui", disse.

Fórmula 1