Topo

Fórmula 1


Kimi completa 300 GPs e diz não se importar em bater marca de Barrichello

Kimi Raikkonen, piloto da Alfa Romeo em 2019 - William West/AFP
Kimi Raikkonen, piloto da Alfa Romeo em 2019 Imagem: William West/AFP

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Mônaco

22/05/2019 04h00

O fim de semana do GP de Mônaco será de comemoração para Kimi Raikkonen. Ou pelo menos deveria ser, já que o finlandês se tornará o quinto piloto na história com 300 GPs disputados na Fórmula 1, juntando-se a Rubens Barrichello, Fernando Alonso, Michael Schumacher e Jenson Button. Mas ele garante que não está nem aí para este tipo de recorde.

"Não me interesso por essas coisas. São só números, não são? Eu nunca persegui nenhum número, de nenhum tipo. Se fossem 20.000 corridas, não faria diferença nenhuma. Não fico vendo quantas corridas eu fiz ou vou fazer."

Perguntado pelo UOL Esporte sobre a possibilidade real que tem de bater a marca de Rubens Barrichello e se tornar o piloto com mais largadas na história da categoria, Raikkonen manteve o discurso.

"Eu continuo fazendo isso porque é o que eu quero e, quando eu não quiser mais, vou parar. Fazer 10 corridas a mais ou 10 corridas a menos que alguém não vai determinar o quanto tempo eu vou ficar aqui. Por enquanto, estou feliz em estar aqui mas, se isso mudar, vou procurar outra coisa para fazer da vida."

Barrichello somou oficialmente 322 largadas na história, número que Raikkonen deve alcançar na nona prova do ano que vem, caso não perca nenhuma etapa até lá. O finlandês tem contrato assinado até o final de 2020 com sua atual equipe, a Alfa Romeo, e não dá sinais de que está desmotivado mesmo lutando no meio do pelotão. Muito pelo contrário: Raikkonen tem sido um dos grandes destaques do campeonato até aqui e pontuou em quatro das cinco provas disputadas e é atualmente nono no campeonato.

"Temos um bom grupo de pessoas e boas ferramentas para fazer um bom carro e melhorar, então quero ajudar a equipe a avançar. Onde nós vamos chegar? Não sabemos, ninguém sabe. Vamos descobrir no futuro. É por isso que eu gosto de disputar corridas. É claro que queremos vencer, queremos lutar por campeonatos, mas também sabemos na Alfa com que tipo de resultados podemos ficar contentes."

Raikkonen estreou, pela Sauber, na Fórmula 1 em 2001, aos 21 anos. Na época, ele causou furor por ter pouca experiência anterior com carros de fórmula - tinha feito apenas 23 corridas, algo parecido com o que aconteceu, anos depois, com Max Verstappen. Logo no ano seguinte, contudo, já estava na McLaren, onde chegou perto do título em 2005, tendo sido vice-campeão também em 2003. A conquista só viria dois anos depois, pela Ferrari, time do qual foi dispensado no final de 2009. Raikkonen, então, passou dois anos disputando o Mundial de Rali, até voltar em 2012 pela Lotus e ser terceiro colocado no campeonato. Recontratado pela Ferrari em 2014, o finlandês ficou na Scuderia até o fim do ano passado, quando se transferiu pela Alfa Romeo.

Em 299 GPs e 297 largadas, o campeão da 2007 conquistou 21 vitórias, 18 poles e 103 pódios. Em Mônaco, os treinos livres começam na quinta-feira e a corrida será às 10h10 do domingo, pelo horário de Brasília.