PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Esqueça o terrorismo: o que choca em Sochi são os problemas com banheiros

Instruções para uso dos banheiros nas Olimpíadas de Inverno são mais que curiosas, são bizarras! - Reprodução/Twitter
Instruções para uso dos banheiros nas Olimpíadas de Inverno são mais que curiosas, são bizarras! Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

05/02/2014 13h32

Os Jogos Olímpicos de Sochi, na Rússia, têm alguns assuntos sérios que preocupam organização, atletas e visitantes, a exemplo da ameaça de terrorismo e de toda a polêmica em torno das leis antigays do país. Mas, com a competição chegando, uma outra realidade acabou roubando a atenção: simples banheiros acabaram virando polêmica.

As instalações na Rússia têm suas particularidades e os toaletes é que acabaram chocando os primeiros visitantes que chegaram para a disputa das Olimpíadas. 

Dos problemas de falta de água aos inusitados "sanitários gêmeos", tudo isso acabou gerando até uma cartilha do que é indicado ou não se fazer quando se chega próximo às privadas russas. Confira o que está gerando tanta discussão nesse tema que parece tão banal, mas que acaba sendo tão fundamental:

Os sanitários gêmeos

Tudo bem que banheiros masculinos sejam mais "compartilhados". Mas toaletes são ambientes que também precisam prover certa privacidade, independentemente do sexo. Quando um enviado da BBC chegou à Rússia, no entanto, deparou-se com os tais "sanitários gêmeos". São, simplesmente, duas privadas colocadas lado a lado, sem divisórias.

O jornalista postou em uma rede social a foto, criticando a estrutura oferecida. Rapidamente a imagem foi retuitada, até pela oposição russa. "Este é um banheiro masculino em centro de imprensa das Olimpíadas de Sochi (construído) com 1,5 bilhão de rublos (mais de R$ 105 milhões)", escreveu um político. LEIA MAIS

  • BBC

Problema com a água

Os problemas de estrutura também comprometem o abastecimento de água. Há quem reclame de ausência de água, ou do fato de a água quente oferecida ser suja. A jornalista do Stacy St. Clair, repórter do jornal norte-americano "Chicago Tribune" queixou-se da falta de abastecimento e foi além. Contou que no hotel lhe disseram: "Caso haja água, não a use na cara porque é perigoso". Veja abaixo a cor nada animadora desta água considerada perigosa.

"Água reestabelecida, mais ou menos. Pelo lado bom, agora sei como se parece uma água perigosa para o rosto"

Hidrante no banheiro?

Outro jornalista que reportou esquisitices nas instalações mostrou um hidrante instalado dentro do banheiro de seu hotel. No mínimo inusitado. Veja: 

Senhoras da limpeza "de boa na lagoa"

Uma outra reclamação, desta vez de parte dos visitantes homens em Sochi, é em relação às faxineiras que cuidam dos sanitários. O problema é a "liberdade" que elas se dão de ir fazer seu trabalho mesmo quando os banheiros masculinos estão em uso.

O jornalista Marcelo Barreto, durante o Redação SporTV, relatou o incômodo.“Faxineiras, mulheres, aparecem para limpar os banheiros enquanto os homens estão usando. Eu fiquei um pouco incomodado”, admitiu ele.

Pode pescar na privada? Não. Veja o guia prático:

Uma das imagens que provavelmente ficarão no rol de clássicos eternos de Sochi é a desse guia prático de como usar um banheiro durante as Olimpíadas de inverno. O principal, é claro, são as proibições, algumas que parecem ter saído da cabeça de um comediante, tamanha a bizarrice.

A primeira imagem mostra como se deve usar o vaso. Fácil, não é? As outras indicam o que não se deve fazer. Xixi em pé? Nada disso. Não vomitar, não subir de cócoras, não jogar bombas... E não pescar! LEIA MAIS

Pois é. Esses são só os banheiros dos Jogos Olímpicos de inverno em Sochi. Imagina na Copa... 

Esporte