PUBLICIDADE
Topo

Surfe 360°

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Bi-mundial corre risco de não embarcar para os EUA por causa do visto

Surfista Phil Rajzman pega tubo em onda do Rio de Janeiro - Ana Catarina
Surfista Phil Rajzman pega tubo em onda do Rio de Janeiro Imagem: Ana Catarina
Conteúdo exclusivo para assinantes
Thiago Blum

É jornalista esportivo desde 1992, mas acompanha o surfe há quatro décadas. Trabalhou por 19 anos na ESPN e atualmente é editor de esportes do Jornal da Band. Cobriu cinco Copas do Mundo e cinco edições dos Jogos Olímpicos.

Colunista do UOL

25/09/2021 19h18

Phil Rajzman, nosso maior nome do Longboard e um dos principais surfistas brasileiros de todos os tempos, está vivendo um drama.

A poucos dias das etapas decisivas do Campeonato Mundial, marcadas para a Califórnia, ele corre o risco de não embarcar para os Estados Unidos.

Na agenda do circuito dos pranchões da WSL, dois eventos: O primeiro na piscina do 'Surf Ranch', dia 29/9. A decisiva, em Malibu, de 3 a 13/10.

Com passagem marcada para segunda-feira, à noite, Phil está com o passaporte retido no Consulado americano e foi avisado, agora, que somente liberará o visto mediante a uma entrevista agendada para 5 de outubro. Ou seja, ele perderia as duas competições.

Phil Rajzman - Mario Nardy - Mario Nardy
Phil Rajzman
Imagem: Mario Nardy

Bicampeão mundial de Longboard em 2007 e 2016, o carioca está desde julho, antes mesmo dos dois eventos serem confirmados, atrás do visto.

O problema também é decorrente da pandemia, que fez o consultado suspender a concessão de visto e dificultou que o atleta marcasse com mais antecedência e de forma emergencial. Rajzman acionou sua advogada nos Estados Unidos e conseguiu todas as autorizações. Está com cartas da WSL, do Comitê Olímpico Americano e Governo Americano indicando interesse nacional, entre outras documentações.

A esperança é que o consulado dos EUA adiante a entrevista.

"Infelizmente corro o risco de não poder representar o Brasil no campeonato e nem brigar pelo meu terceiro título. Obviamente entendo e respeito atual crise sanitária devido à Covid-19 mas me sinto prejudicado, pois dediquei praticamente a vida toda para estar na elite do surfe mundial e, agora, posso ficar fora dos dois eventos. Mas ainda tenho fé e esperança de que eles aceitem meu apelo e adiantem essa entrevista", explica Rajzman, que reside em Búzios (RJ).