PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Coutinho

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Santos flerta com o perigo, mas a base do Peixe nunca decepciona

Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodrigo Coutinho

Rodrigo Coutinho é jornalista e analista de desempenho. Acredita que é possível abordar o futebol de forma aprofundada e com linguagem acessível a todos.

Colunista do UOL

18/05/2022 23h38

O Peixe chegou muito perto de perder uma das grandes oportunidades de ganho esportivo e financeiro da temporada, Oscilou bastante, contou com um milagre do goleiro João Paulo para não perder, e só colocou o pé na forma nos acréscimos. Quis o destino que mais um ''garoto da Vila'', desta vez o atacante Lucas Barbosa, fizesse o gol que deu tranquilidade ao alvinegro na última rodada da fase de grupos. Basta vencer o Banfield em casa.

Fabian Bustos novamente poupou titulares na Copa Sul-Americana. Ao sete jogadores considerados reservas iniciaram a partida, entre eles o jovem Rwan Seco pela direita. Marcos Leonardo, Ricardo Goulart, João Paulo e Eduardo Bauermann foram mantidos. Já Federico Vilar, em sua segunda partida como técnico do time chileno, montou um 3-4-3. O zagueiro Pedro Henrique, brasileiro, ex-Sport e Internacional, foi titular.

Os primeiros minutos passaram a sensação que o Santos amassaria o La Calera. Em alta velocidade, sobretudo pelo lado direito, com Rwan Seco e boas diagonais de Ricardo Goulart do meio para o flanco, o Peixe criou grande chance. Marcos Leonardo recebeu na área e chutou cruzado para Goulart desviar e acertar o travessão. Mas esta foi a única ação ofensiva de destaque da primeira metade da etapa inicial.

O que se viu na sequência foi uma distribuição irregular. Passes precipitados buscando o terço final do campo e acelerações incompatíveis com o pouco espaço disponível. O time chileno se retraía, então era necessário ocupar o campo rival, estabelecer a troca de passes, e ocupar os espaços com mais calma, algo que aconteceu poucas vezes, principalmente por parte de Sandry e Camacho.

01 - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho
Como Santos e Union La Calera começaram o jogo válido pela 5ª rodada do Grupo C da Copa Sul-Americana 2022
Imagem: Rodrigo Coutinho

Quando Marcos Leonardo e Ricardo Goulart conseguiam se aproximar, o alvinegro assustava. Foi assim aos 29'. O centroavante recebeu após corta-luz do meia e bateu de virada pra fora. Lucas Braga era outro que se destacava quando encontrava espaços. Serviu Rwan Seco em contra-ataque e o cruzamento rasteiro achou uma potente finalização de Ricardo Goulart. Pedro Henrique evitou, com o rosto, um gol certo.

O La Calera era bem agressivo na marcação e tentava tirar a velocidade da partida quando tinha a bola. Conseguiu e trocou passes no campo do Santos em alguns momentos, mas levou perigo mesmo na bola parada aérea. Castellani quase marcou de cabeça aos 20', e o experiente Saez chegou a ter um gol de cabeça anulado logo depois. Faltou um pouco mais de concentração ao Peixe neste tipo de lance.

Como já ocorrera na 1ª etapa, o 2º tempo começou com muito volume ofensivo do Peixe. Foram quatro chances em cinco minutos. Ricardo Goulart acertou a trave esquerda com uma cabeçada. Pedro Henrique quase marcou contra e Rwan Seco seguiu infernizando o lado esquerdo da defesa chilena. Houve melhora na distribuição dos passes a partir dos volantes, mas o ritmo voltou a cair na sequência.

03 - Fernanda Luz/AGIF - Fernanda Luz/AGIF
Marcos Leonardo, do Santos, disputa lance contra a Unión La Calera, pela Sul-Americana
Imagem: Fernanda Luz/AGIF

Rodrigo Fernandez e Léo Baptistão, dois atletas que vêm jogando como titulares, entraram nas vagas de Camacho e Ricardo Goulart. Rwan Seco ficou mais perto de Marcos Leonardo. Lucas Barbosa, Lucas Pires e Angulo também foram a campo. Bustos chegou a recuar Lucas Braga para a lateral. O time esboçou uma pressão, mas perdeu padrões importantes com as mexidas e não teve muito repertório nas proximidades da área.

Basicamente alçava bolas a esmo e viu Lucas Barbosa mandar no travessão na reta final. O time não havia acertado o alvo em nenhuma das 19 finalizações até o mesmo Lucas Barbosa dominar um passe de Sandry por elevação e marcar com um potente chute de canhota aos 56 minutos do 2º tempo. Tudo isso em meio a muita confusão entre as duas equipes e expulsões.