PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Coutinho

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Coutinho: Ivan e Bambu são ótimas tacadas do Corinthians

Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodrigo Coutinho

Rodrigo Coutinho é jornalista e analista de desempenho. Acredita que é possível abordar o futebol de forma aprofundada e com linguagem acessível a todos.

Colunista do UOL

18/01/2022 17h14

O Corinthians fez dois interessantes movimentos no mercado nos últimos dias. Os acertos com o zagueiro Robson Bambu e o goleiro Ivan encorpam bastante o elenco, aumentam a competitividade do grupo dirigido por Sylvinho e preparam o terreno para nomes que podem tomar conta da posição num futuro próximo.

Ambos têm a mesma idade, 24 anos, e conseguiram destaque em outras equipes do futebol brasileiro. Logicamente que a pressão de todos os lados é muito maior no Corinthians, mas com Cássio, João Victor e Gil mantendo a titularidade, terão tempo de adaptação e entendimento do que é o clube. O potencial é grande na dupla!

Por mais que seja ídolo e, para muitos, o maior goleiro da história corintiana, Cássio vem sendo questionado há algumas temporadas. De fato, teve momentos abaixo do que pode render, e pensar em uma reposição para um arqueiro que fará 35 anos em 2022 é muito compreensível, principalmente se este nome for Ivan.

Já na zaga, João Victor e Gil formam uma das melhores duplas do futebol brasileiro na atualidade, e dificilmente comprometem. O problema é que o jovem zagueiro da base do Timão desperta seguidamente o interesse de clubes da Europa. Além do mais, Robson Bambu é hoje uma reposição muito mais confiável em relação a Raul Gustavo, reserva imediato do setor em 2021.

Ivan

Natural de Piracicaba e revelado na base da Ponte Preta, o goleiro foi relacionado para os profissionais pela primeira vez ainda em 2014, com apenas 16 anos. Estreou duas temporadas depois, diante do Coritiba, na última rodada do Brasileirão 2016. E a partir de 2018 assumiu a meta da Macaca.

Nas últimas quatro temporadas foi um dos destaques da equipe campineira, só tendo sua sequência de jogos interrompida por uma grave lesão nos ligamentos do punho em outubro de 2020. Foram nove meses sem entrar em campo, o que acabou atrapalhando na disputa por vagas na seleção olímpica, mas retomou à velha forma com a sequência de partidas.

01 - Fonte: Opta - Fonte: Opta
Os números de Ivan na última temporada
Imagem: Fonte: Opta

A principal característica de Ivan é a sua envergadura. Com 1,93m e braços muito longos, consegue alcançar bolas bem colocadas nos cantos e nos ângulos. Utiliza as passadas laterais com desenvoltura para chegar na pelota e evitar gols. Precisa melhorar sua velocidade de reação, principalmente em lances frente a frente com atacantes rivais.

O jogo com os pés não é necessariamente uma especialidade, mas também não compromete em situações de pressão adversária e mostra tranquilidade para tomar a decisão mais simples. Apresenta gestos técnicos corretos nos movimentos de defesa e saídas pelo alto. A reposição de bola longa é mediana.

Robson Bambu

Nascido em Santos, o novo zagueiro corintiano fez toda a sua formação nas divisões de base do Peixe, subiu para os profissionais em 2018, com Jair Ventura no comando, fez 13 jogos, dez como titular, mas não renovou o contrato com o alvinegro e rumou para o Athletico na temporada seguinte.

Em Curitiba, começou no time sub-23 e foi conquistando no time principal aos poucos. Foi titular em 20 dos 23 jogos que fez em 2019, entre eles as finais da Copa do Brasil, quando o Furacão bateu o Internacional. Em 2020 manteve o ''status'' no elenco até chegar a pandemia e ser negociado com o Nice, da França, por R$ 47 milhões.

Mesmo se lesionando logo em seu primeiro jogo oficial no clube, em agosto de 2020, voltou dois meses depois e teve uma sequência como titular da equipe do sul francês. A partir de fevereiro do ano passado começou a perder espaço e terminou a Ligue 1 como reserva. O Nice terminou em 9º.

02 - Fonte: Opta - Fonte: Opta
Os números de Robson Bambu na temporada 2020/2021
Imagem: Fonte: Opta

A atual temporada europeia basicamente não existiu para Bambu. Foi relacionado para apenas duas partidas e passou por cirurgia no tornozelo no mês de novembro. Precisa retomar o ritmo e a sequência de jogos para mostrar-se útil ao técnico Sylvinho.

A qualidade e a tranquilidade para sair jogando são marcas importantes do futebol dele. Seja pela capacidade de encaixar passes verticais ou pelas conduções de bola para atrair adversários e gerar desmarques dos companheiros. Magro e longilíneo, é um zagueiro que atinge velocidade alta pela sua passada larga em distâncias maiores.

Pode melhorar um pouco nas bolas aéreas e na contundência de alguns duelos individuais. Apresenta ótimo posicionamento e tempo de cobertura, mostrando agilidade para reagir rápido a determinadas demandas que surgem ao defender a própria área.