PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

Ceni é técnico brasileiro com mais títulos desde chegada ao Fortaleza

Rogério Ceni conquistou o bicampeonato cearense 2019/20 com o Fortaleza - Kely Pereira/AGIF
Rogério Ceni conquistou o bicampeonato cearense 2019/20 com o Fortaleza Imagem: Kely Pereira/AGIF
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

22/10/2020 11h35

Campeão Estadual com o Fortaleza nessa quarta-feira (21), o técnico Rogério Ceni chegou ao seu quarto título sob o comando do tricolor cearense. Desde que assumiu o clube em janeiro de 2018, o ex-goleiro do São Paulo conquistou a Série B do Brasileirão e a Copa do Nordeste naquele ano e depois o título cearense em 2019.

Assim, se tornou o técnico brasileiro com mais títulos desde 2018, ao lado de Renato Gaúcho, do Grêmio (três vezes campeão gaúcho e uma da Recopa Sul-Americana). Nesses três anos, o português Jorge Jesus ainda é o maior vencedor com cinco títulos (Libertadores e Brasileiro em 2019 e Carioca, Recopa Sul-Americana e Supercopa do Brasil em 2020).

Nesse período, Ceni foi ainda 9º colocado no Brasileirão de 2019, classificando o Fortaleza pela primeira vez para uma competição internacional — a Copa Sul-Americana. Além disso, foi vice-campeão cearense em 2018 e semifinalista da Copa do Nordeste agora em 2020. Na atual edição do Brasileirão, está atualmente na 7ª colocação, à frente de grandes como Palmeiras, Corinthians, Grêmio, Vasco e Botafogo.

Pelo Fortaleza, Rogério completou nessa quarta 150 jogos no comando do clube, com 81 vitórias, 32 empates. 37 derrotas, 220 gols marcados, 128 gols sofridos e um aproveitamento de 61,1% dos pontos disputados. Em setembro de 2019, Ceni teve ainda uma breve passagem de um mês pelo Cruzeiro (8 jogos).

Treinadores com mais títulos no Brasil desde 2018:

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.