PUBLICIDADE
Topo

Quem são os jogadores mais novos a atuar no Brasileirão por pontos corridos

Matheus Nascimento, atacante do Botafogo, fez sua estreia pelo clube aos 16 anos - Vítor Silva/Botafogo
Matheus Nascimento, atacante do Botafogo, fez sua estreia pelo clube aos 16 anos Imagem: Vítor Silva/Botafogo
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

10/09/2020 04h00

No último sábado (5), no empate entre Corinthians e Botafogo por 2 x 2, em São Paulo, o garoto Matheus Nascimento, atacante do time carioca entrou em campo no segundo tempo, se tornando o jogador mais novo desse Brasileirão.

Com apenas 16 anos e 6 meses, a promessa do Fogão entrou para a história como o mais novo a atuar pelo clube em Brasileiros e o 5º mais jovem a jogar no Brasileirão na era dos pontos corridos, desde 2003.

O meia Miguel, do Fluminense, em 2019, quebrou o recorde do corintiano Jô, que durava desde 2003. Naquele primeira edição, o centroavante do Corinthians estreou aos 16 anos, 3 meses e 29 dias. Miguel, no ano passado, entrou em campo com 16 anos, 3 meses e 20 dias.

Jogadores mais novos a disputar o Brasileirão na era dos pontos corridos (2003-2020)

Desde 2003, 20 jogadores entraram em campo pelo Brasileirão aos 16 anos. Entre eles, Gabigol (ainda pelo Santos), Rodrygo e Vinícius Júnior, hoje no Real Madrid, e Paulinho, ex-Vasco e que está no Bayer Leverkusen. Alexandre Pato (em 2006) e Neymar (em 2009), foram ainda os mais jovens daquelas edições.

Campeão do Sul-Americano Sub-15 com a seleção brasileira, Matheus Nascimento fez um novo contrato recentemente com o Botafogo, até junho de 2023, com multa rescisória de R$ 150 milhões para clubes brasileiros e de 50 milhões de euros (cerca de R$ 314 milhões) para o exterior.

Jogadores mais novos a disputar o Brasileirão na era dos pontos corridos, por edição (2003-2020)

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.