PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

Cássio, Fágner e Gabriel buscam inédito tetra do Paulistão pelo Corinthians

Fágner conquistou os Paulistas de 2017, 2018 e 2019 e poder ser tetra pelo Corinthians - Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians
Fágner conquistou os Paulistas de 2017, 2018 e 2019 e poder ser tetra pelo Corinthians Imagem: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

04/08/2020 14h58

Tricampeão paulista em 2017, 2018 e 2019, o Corinthians tem em seu elenco apenas três jogadores hoje que participaram dos três títulos: o goleiro Cássio, o lateral direito Fágner e o volante Gabriel. Outros dois jogadores, o meia Pedrinho e o zagueiro Pedro Henrique, que atuaram no início do Paulistão e nos três títulos anteriores, deixaram o clube em 2020, entram também na lista de quem pode ganhar o inédito tetracampeonato. Ambos, porém, não estarão em campo contra o Palmeiras. Jadson e Ralf, outros tricampeões em 2017/18/19, saíram do alvinegro no começo da temporada 2020.

Cássio, que ganhou ainda o Paulistão de 2013, foi titular nos títulos de 2017, 2018, 2019 e agora na campanha de 2020, atuando em 66 dos 68 do time nesses quatro anos. Fágner, outro titular nas quatro edições, disputou 55 jogos. Gabriel, que fez apenas um jogo em 2019 e foi titular em 2017, 2018 e 2020, jogou 41 partidas. Pedrinho, que disputou 3 jogos em 2020, fez no total 33 partidas. Já Pedro Henrique fez 29 jogos.

Na história do Paulistão, o jogador com mais títulos pelo Corinthians, segundo levantamento do jornalista e historiador Celso Unzelte, autor do Almanaque do Timão, é Del Debbio, com oito conquistas nas décadas de 1920 e 1930. Neco, com 7 títulos é o segundo da lista. Apesar de fazer parte do elenco, ele não entrou em campo em 1929, ano em que o time foi campeão. Cássio, caso conquiste o título em 2020, subirá para o 6º lugar entre os maiores campeões paulistas pelo clube, ao lado de Rodrigues, com cinco títulos. No geral, desde 1902, o jogador com mais títulos estaduais é o ex-atacante Pepe, do Santos, com 11 títulos, seguido por Pelé (10). No século XXI, Cássio é o maior campeão ao lado de Elano, ex-Santos, com 4 títulos.

Jogadores com mais títulos do Campeonato Paulista pelo Corinthians:

8 títulos:
Del Debbio, (1922, 1923, 1924, 1928, 1929, 1930, 1937 e 1939)

7 títulos:
Neco (1914, 1916, 1922, 1923, 1924, 1928 e 1930)

6 títulos:
Munhoz (1928, 1929, 1930, 1937, 1938 e 1939)
Rafael (1922, 1923, 1924, 1928, 1929 e 1930)
Rato (1922, 1923, 1924, 1928, 1929 e 1930)

5 títulos
Rodrigues (1922, 1923, 1924, 1928 e 1929)

4 títulos
Amílcar (1914, 1916, 1922 e 1923)
Apparício (1924, 1928, 1929 e 1930)
Biro-Biro (1979, 1982, 1983 e 1988)
Brandão (1937, 1938, 1939 e 1941)
Carlinhos (1937, 1938, 1939 e 1941)
Carlos (1937, 1938, 1939 e 1941)
Cássio (2013, 2017, 2018 e 2019)
Grané (1924, 1928, 1929 e 1930)
Jango (1937, 1938, 1939 e 1941)
Leone (1923, 1924, 1929 e 1930)
Lopes (1937, 1938, 1939 e 1941)
Marcelinho Carioca (1995, 1997, 1999 e 2001)
Teleco (1937, 1938, 1939 e 1941)
Wladimir (1977, 1979, 1982 e 1983)
Zé Maria (1977, 1979, 1982 e 1983)

3 títulos:
André Santos (1995, 1997 e 1999)
Baltazar (1951, 1952 e 1954)
Carbone (1951, 52 e 1954)
Ciasca (1922. 1923 e 1924)
Cláudio (1951, 1952 e 1954)
Cris (1995, 1997 e 1999)
De Maria (1928, 1929 e 1930)
Fágner (2017, 2018 e 2019)
Filó (1929, 1930 e 1937)
Gabriel (2017, 2018 e 2019)
Gambarotta (1922, 1923 e 1924)
Gambinha (1928, 1929 e 1930)
Gelindo (1922, 1923 e 1924)
Gilmar (1951, 1952 e 1954)
Homero (1951, 1952 e 1954)
Idário (1951, 52 e 1954)
Jadson (2017, 2018 e 2019)
Kleber (1999, 2001 e 2003)
Luizinho (1951, 1952 e 1954)
Maurício (1997, 1999 e 2001)
Mauro (1979, 1982 e 1983)
Nerino (1928, 1929 e 1930)
Pedrinho (2017, 2018 e 2019)
Pedro Henrique (2017, 2018 e 2019)
Peres (1922, 1923 e 1924)
Pinheiro (1923, 1924 e 1928)
Ralf (2013, 2018 e 2019)
Roberto Belangero (1951, 1952 e 1954)
Ronaldo Giovanelli (1988, 1995 e 1997)
Servílio (1938, 1939 e 1941)
Sócrates (1979, 1982, 1983)
Solito (1979, 1982, 1983)
Souza (1995, 1997 e19 99)
Sylvinho (1995, 1997 e 1999)
Tatu (1922, 1923 e 1924)
Tuffy (1928, 1929 e 1930)
Wagner Basílio (1979, 1982 e 1983)

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.