PUBLICIDADE
Topo

Alagoas transforma gás metano dos aterros sanitários em energia elétrica

Iniciativa barateia conta de luz de pequenos comerciantes em até 12% - Divulgação/ Alagoas Ambiental
Iniciativa barateia conta de luz de pequenos comerciantes em até 12% Imagem: Divulgação/ Alagoas Ambiental

Ed Rodrigues

Colaboração para Ecoa, do Recife

08/06/2022 06h00

O estado de Alagoas está transformado o gás metano, emitido em um aterro sanitário, em energia limpa —o que barateou a conta de luz, a princípio, de pequenos comerciantes em até 12%. Isso tem sido possível graças à inauguração, no dia 17 de março, da primeira usina de biogás do estado, que transforma o metano do lixo em energia elétrica. A usina fica na Central de Tratamento de Resíduos (CTR) do Pilar, na Grande Maceió (AL), e foi erguida após um investimento de R$ 8 milhões feito pelo grupo Alagoas Ambiental.

O espaço terá capacidade para produzir 8,5 GWh de energia por ano, o equivalente ao consumo de mais de quatro mil residências. A Ecoa, um representante conta que a empresa pensava em aproveitar o biogás desde a implantação da CTR, em 2015. No entanto, para que isso pudesse acontecer, era necessário ter biogás suficiente para fazer funcionar o motor gerador. Em 2020, após vários estudos, foi feito o investimento.

O processo é possível após o aterro de resíduos classe II (lixo comum, domiciliar) começar a gerar uma quantidade suficiente de biogás para que supra o funcionamento do motor gerador.

"A Alagoas Ambiental tem atualmente duas centrais de tratamento de resíduos em operação no estado: uma no município de Pilar (região metropolitana) e outra em Craíbas (no agreste). Uma terceira central está em fase de implantação no município de Delmiro Gouveia (sertão)", afirma Marnes Gomes, gerente de operações do grupo Alagoas Ambiental.

"Nossa primeira usina de geração de energia através do biogás fica situada na central do Pilar. Em 2022 acontecerá a implantação de mais duas usinas de geração de energia na central que fica em Craíbas, com capacidade de geração de 1000 kWh cada uma, e a segunda usina de geração no Pilar", completa.

Biogás - Divulgação/ Alagoas Ambiental - Divulgação/ Alagoas Ambiental
Espaço terá capacidade para produzir 8,5 GWh de energia por ano, o equivalente ao consumo de mais de quatro mil residências
Imagem: Divulgação/ Alagoas Ambiental

O biogás é oriundo da transformação que ocorre por meio da decomposição do resíduo. Esse biogás, ressalta o gerente, é coletado por meio de tubulações e levado para estações de regulagem. Em seguida, passa por um processo de desumidificação e retirada das impurezas, e está pronto para ser injetado no motor gerador e começar a gerar energia.

O resultado deve culminar em economia na energia elétrica da população local. No entanto, explica o gestor, a empresa está atendendo estrategicamente pessoas jurídicas que estão em regime atual de consumo de energia em baixa tensão e média tensão.

Biogás - Divulgação/ Alagoas Ambiental - Divulgação/ Alagoas Ambiental
Biogás é coletado por meio de tubulações e levado para estações de regulagem
Imagem: Divulgação/ Alagoas Ambiental

Para aderir ao projeto, os interessados não terão custo de investimento e consumirão energia limpa com descontos de 10 a 12% nas contas. A empresa que decidir aderir à iniciativa entra em um grupo consorciado e passa a ser autogeradora, podendo assim se beneficiar das vantagens citadas.

Contribuição para o futuro

"Nossos planos para ampliação incluem outros três motores em funcionamento até março de 2023, sendo dois em nossa central de Craíbas e um em nossa central no Pilar", diz Gomes.

Segundo José Fernando Thomé Jucá, coordenador do Grupo de Resíduos Sólidos da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o biogás é uma alternativa de energia limpa que pode trazer muitos benefícios ao meio ambiente.

Um aspecto importante, cita o professor, é que em geral o biogás dos resíduos provenientes de aterros sanitários ou mesmo de biodigestores, se não for aproveitado como energia, vai para a atmosfera e contribui para um processo de contaminação.

"O aproveitamento como forma de energia contribui para a redução significativa de emissão na atmosfera. Esses gases dos resíduos sólidos urbanos estão na escala de prioridade de emissões. É uma escala muito grande. E deixar o planeta livre dessas emissões é uma contribuição significativa para o futuro", ressalta.