PUBLICIDADE
Topo

Jovem juntou amigos para arrecadar doações e hoje ajuda 1300 famílias de SP

Projeto Ação Gueto organizou a doação de dois computadores de mesa para uma cooperativa de catadores de Campinas - Cláudia Aguiar
Projeto Ação Gueto organizou a doação de dois computadores de mesa para uma cooperativa de catadores de Campinas Imagem: Cláudia Aguiar

Gloria Maria

Colaboração para Ecoa, de São Paulo

06/04/2021 06h00

O jovem Gabriel Finamore, profissional de relações públicas e morador de Paraisópolis, está entre as pessoas que perderam o emprego com a chegada da pandemia. Como ele tinha uma grana guardada, decidiu se organizar para ajudar outras pessoas e devolver para a comunidade o conhecimento que adquiriu na faculdade PUC-Campinas, terminada em 2019 como Prounista.

Foi assim que publicou um vídeo em suas redes sociais dando início a uma ação que já dura quase um ano. Ele pedia ajuda para comprar alimentos para moradores da comunidade de Paraisópolis e de outras regiões e viu a meta ser batida rapidamente com a ajuda de amigos e a repercussão do vídeo.

O projeto ganhou o nome de Ação Gueto e hoje conta com a ajuda de cerca de 20 voluntários que já impactaram mais de 1.300 famílias da zona sul de São Paulo em regiões como Chacrinha, São Luís, Stela Costa e São Luís Jd. Lídia, Capão Redondo e nas ocupações Nova Canaã e Terra Prometida, no Jd Vera Cruz.

Com os valores arrecadados teve distribuições desde cestas básicas até entrega de kits de higiene, como shampoo, absorvente, sabonete e outros para pessoas em situação de rua. Gabriel comenta que o propósito do projeto é também ajudar as comunidades de fora. "Pensamos em comunidades menores, onde não há visibilidade da mídia", comenta ele, referindo-se à atenção que Paraisópolis costuma receber.

O projeto também recebeu doações de quatro notebooks para jovens que estão prestando vestibular e Enem. "Percebi que muita gente estava tendo uma defasagem muito grande, que queria fazer o Enem, mas que mora em um, dois cômodos com 3 a 4 pessoas que dividem um único aparelho celular. Jovens que querem ingressar na universidade e que consequentemente competem com o boy da escola particular que tem acesso a tudo", comenta Gabriel, que ainda organizou a doação de dois computadores de mesa para uma cooperativa de catadores.

No dia 11, o projeto vai entregar ovos de Páscoa para crianças na comunidade Chacrinha às 10h, e às 14h30 na ocupação Terra Prometida, em Vera Cruz. Por enquanto já foram arrecadados 500 dos 600 ovos previstos. "O preço dos ovos de páscoa está um absurdo. Nos juntamos e estamos no corre de conseguir mais 100 ovos para as crianças em vulnerabilidade social".

O projeto conta com doações de alimentos e também tem uma conta física para doação de dinheiro. Para ajudar, entre em contato pelo Instagram: @Acao_Gueto.