PUBLICIDADE
Topo

Campanha entrega mil refeições por dia e mantém empregos no Alemão

Projeto Prato das Comunidades entrega refeições no Complexo do Alemão, no Rio, durante pandemia - Divulgação
Projeto Prato das Comunidades entrega refeições no Complexo do Alemão, no Rio, durante pandemia Imagem: Divulgação

Carina Martins

Colaboração para Ecoa, em São Paulo

19/06/2020 17h42

Até para ajudar em um momento de emergência é fundamental ouvir e conhecer. A perspectiva "de cima e de fora" não saberia, talvez, que muita gente que recebe as doações de cesta básica não tem gás ou luz para cozinhar os itens que recebe.

O jornalista Rene Silva, conhecido por ter criado o jornal Voz das Comunidades, no Complexo do Alemão, contou isso na palestra que deu em uma agência de publicidade de São Paulo logo no início da pandemia. Ele já conhecia essa necessidade das campanhas de agasalho e refeições que conduz nas épocas de frio, e viu que a situação estava agravada pela pandemia. Seu relato e sua expertise levaram o dono da agência, que prefere continuar anônimo, a apadrinhar o início do projeto Prato das Comunidades.

"Ele disse: cara, eu quero ajudar. Veja quanto vai ficar cada prato de comida", diz Rene. O jornalista então organizou uma rede de fornecedores locais, promoveu a reabertura da cozinha popular do Alemão, convocou os mototaxistas que estavam parados para serem entregadores e conseguiu criar uma logística capaz de produzir e entregar mil refeições por dia, todos os dias, a R$ 4,33 cada uma. Tudo com fornecedores e trabalhadores da própria comunidade, mantendo a economia local. O patrono pagou, sozinho, um mês de refeições e trouxe mais dois amigos que garantiram outras duas semanas. Enquanto isso, sua agência elaborou o site da campanha para que ela seguisse em frente.

Agora, com o site pronto, o Prato das Comunidades acaba de ser lançado oficialmente para o público, que pode doar qualquer valor para manter essa rede de economia ativada e gente alimentada. Todos os dias, são servidas 700 quentinhas no Alemão, entregues nas casas dos cadastrados por restaurantes e entregadores de lá mesmo. Outras 300 são enviadas para favelas parceiras, como Complexo da Maré, Penha, Cidade de Deus e Acari. Estão com lista de espera.

"Uma coisa muito interessante é a rotatividade que acontece entre os cadastrados", explica René. "Muita gente se inscreve para receber enquanto o auxílio emergencial do governo está em análise, por exemplo. Aí, quando recebem os R$ 600, dizem 'muito obrigado, agora não precisa mais'. Pedem para sair quando estão conseguindo se manter de alguma forma, mesmo que seja pouquinho. São inúmeras as mensagens que ele e a Voz das Comunidades recebem diariamente de trabalhadores agradecendo e dizendo que a quentinha garantiu a única refeição daquele dia.

A partir da semana que vem, a campanha vai ganhar a visibilidade de embaixadores famosos como Fábio Porchat, Preta Gil, Deborah Secco, Maria Rita, Di Ferrero, Ingrid Guimarães, Astrid Fontenelle e Delacruz. Mas já é possível doar qualquer valor para ajudar a garantir os mil pratos diários em pratodascomunidades.com