PUBLICIDADE
Topo

Mari Rodrigues

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

A alegria de ver pessoas amigas evoluindo

A colunista Mari Rodrigues e seu amigo Vitor Lima na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP - Arquivo Pessoal
A colunista Mari Rodrigues e seu amigo Vitor Lima na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP Imagem: Arquivo Pessoal

18/12/2021 06h00

Ecoa foi feito para ser um repositório de boas notícias e boas histórias. Com os tempos em que vivemos, fica difícil pensar em pautas boas para compartilhar na medida do meu tema principal. Mas neste final de ano, preciso compartilhar uma boa história que aconteceu esta semana e que dá um quentinho no coração.

Conheci o Vitor em 2019, assim que entrei na USP, numa reunião sobre diversidade, e logo fizemos uma amizade. Montamos muita coisa juntamente com outras pessoas LGBTQIA+ com o intuito de contribuir com uma universidade mais inclusiva para nós.

Quando recebi o convite do Vitor para a defesa do seu trabalho final, que lhe aprovaria no curso de arquitetura, depois de longos anos, fiquei muito feliz. Porque vi o seu empenho e, de certo modo, fiz parte do seu caminho na universidade.

A apresentação foi bastante polida e gerou uma discussão agradável na banca. Ele falava sobre o que trazia o elemento de brasilidade da arquitetura e fazia reflexões sobre o próprio conceito de Brasil que a arquitetura tem. Conceito esse muito amplo e cheio de debates.

O seu perfeccionismo o deixou bastante apreensivo, mas passei o tempo todo falando que a apresentação tinha sido boa. Ele insistiu e falei pontos que ele podia melhorar, mas nenhum dos que eu citei envolviam algum furo metodológico.

Entre os convidados, estava sua família, que ficou bastante emocionada à sua maneira. E eu também chorei um pouco. Por ver um amigo evoluindo na vida. Por ver uma pessoa LGBTQIA+ evoluindo na vida. E por saber que outras pessoas LGBTQIA+ que estão na universidade também estão evoluindo e vão construir o saber.

Para 2022, espero que a evolução esteja à frente de tudo. Porque somos seres feitos para evoluir.