PUBLICIDADE
Topo

Débora Garofalo

Como elaborar planos de aula mediado por tecnologia

Débora Garofalo

Com foco em educação criativa, traz dicas e insights sobre como driblar obstáculos de falta de estrutura, tempo e material para encantar alunos e alunas na sala de aula

15/04/2020 04h00

Com o isolamento social é necessário usar a criatividade para preparar as aulas diante deste novo cenário. Esse é um momento de aprendizado mútuo. Organizar um plano de aula mediado por tecnologia é muito diferente do plano de uma aula presencial.

Para organização de um plano de aula mediado por tecnologia é preciso levar em consideração muitos pontos, como, por exemplo, o tempo de aula, a interatividade, o conteúdo e a maneira que ele será desenvolvido. A metodologia de trabalho pode envolver metodologias ativas: os principais pontos discutidos na aula e a avaliação que pode ser uma reflexão, a organização de um portfólio, entre outras possibilidades.

Reunimos algumas dicas que podem contribuir com a sua aula e também a criar um momento de reflexão com novas maneiras de potencializar a aprendizagem, por meio de projetos e não necessariamente dar início a um conteúdo novo, mas trabalhar com aqueles que os estudantes tiveram a oportunidade de vivenciar em sala de aula e podem ser explorados de maneira diferenciada. Vamos lá?!

1. Escolha a melhor comunicação aos estudantes

Os estudantes estão acostumados a terem acesso ao meio digital, como assistir vídeos, navegar pela internet e interagir nas redes sociais, no entanto, não possuem o hábito de utilizá-las para sua aprendizagem, eles precisam vivenciar o potencial como uma propulsora ao processo cognitivo.

O professor pode optar por disponibilizar a ferramenta digital que melhor atende o objetivo da aula e a prática pedagógica, e que considere o acesso dos estudantes as mesmas. Abaixo listamos algumas ferramentas que podem contribuir neste momento.

  • WhatsApp: utilização para conversas individuais, em grupos ou através de listas de transmissão;

  • Google Hangout Meets: plataforma de webconferência para até 100 pessoas ao mesmo tempo;

  • Google Forms: criação de atividades, simulados, quiz, formulários para resolução no formato digital;

  • Microsoft Teams: so de chats, compartilhando arquivos e chamadas com vídeo.u

Faça o planejamento do conteúdo para que possa ser adaptado ao ambiente digital. Leve em consideração que os estudantes não estão habituados a realizar atividades nesse ambiente e que é necessário começar de maneira simples, para que possam se adaptar ao processo.

2. Metodologia de trabalho

Em uma aula presencial, o professor possui muita interação com os estudantes, dependendo da opção da ferramenta, é necessário considerar maneiras de equilibrar a aula e abordar aprendizagens ativas, como a sala de aula invertida,ou metodologia ativa por resoluções de problemas, mapas mentais, design thinking, entre outros.

Para o estudante é importante ter um disparador, uma problematização do assunto e ao longo da aula e da metodologia escolhida trabalhar e explorar os conceitos. Dê preferência para trabalhar com conteúdos já vistos em sala de aula e proponha atividades por meios digitais, como, por exemplo, memes, podcasts, fóruns, entre outros. Se não for possível, ofereça atividades escritas para entrega no retorno das aulas presenciais. Oriente os estudantes a criarem portfólios, que podem contribuir para uma futura avaliação.

Esse é um momento importante para abordar sobre a pandemia e promover trabalhos interdisciplinares, principalmente porque muitos estudantes têm o papel de multiplicador de informação.

3. Atividades

Proponha atividades com discussões e reflexões, em que os estudantes possam usar os materiais que possuem: livros didáticos, textos e apostilas. A discussão pode ser realizada por WhatsApp, por envio de áudio para recebimentos e explicações. Este é um momento para experimentar e promover uma escuta atenta com os estudantes.

4. Promova discussões com a turma

Ao propor uma atividade, é importante promover a discussão em turma, que pode ser por chat, redes sociais em grupos fechados ou em outras ferramentas que já discutimos aqui. É importante mediar esses espaços para ouvir os estudantes e compreender suas dificuldades para rever o planejamento e propor novas atividades.

Um abraço e até a próxima semana.