PUBLICIDADE
Topo

Que fim tiveram carros 0 km mantidos em concessionária fechada por 16 anos

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo (SP)

25/05/2020 04h00

Em 2013, uma concessionária Volkswagen que fechou as portas nos anos 2000 e seguia com carros zero-quilômetro expostos no showroom virou notícia.

A história de Otmar Walter Essig, dono do estabelecimento localizado em Estrela (RS), de fato era digna de atenção. Em 2004, Essig encerrou as atividades da concessionária, pressionado por uma meta de vendas mensais imposta pela VW que ele acreditava não ser possível atingir.

Em reportagem publicada por UOL Carros na época, com base em um vídeo da produtora "Bufalos TV", Essig contava que, após encerrar o negócio, ele manteve as instalações do jeito em que estavam - incluindo peças de reposição, ferramentas, equipamentos e os carros novos de que dispunha em estoque na ocasião do fechamento.

As raridades incluíam três Fuscas, pelo menos duas unidades da Quantum e um exemplar do Santana nunca emplacados, ainda com os plásticos nos bancos, zerados. A coleção também tinha um raro SP2 1975, que era do uso pessoal de Essig, e uma Kombi - dentre outras joias.

'Caçador' visitou concessionária em 2011

concessionária volkswagen Comercial Gaúcha Covipa estrela Otmar Essig Reginaldo de Campinas 2011 Fusca Última Série 1986 - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Reginaldo de Campinas visitou 'concessionária fantasma' antes de ela virar notícia
Imagem: Arquivo pessoal

Passados sete anos, fomos investigar se as raridades "congeladas no tempo", cobiçadas por muitos colecionadores, ainda continuam guardadas no interior gaúcho.

Por intermédio do comerciante de carros antigos Reginaldo Gonçalves, o Reginaldo de Campinas, recebemos de um dos filhos de Otmar a informação de que a maioria dos veículos permanece no interior da loja e que seu dono, hoje com mais de 85 anos, não tem a menor intenção de vendê-los.

De acordo com esse filho, que não quis conversar diretamente com a reportagem, o dono da Comercial Gaúcha se recuperou de uma enfermidade que há alguns anos interrompeu suas idas quase diárias até a concessionária, que mantinha limpa e organizada, mesmo fechada.

Reginaldo de Campinas, que mora na cidade do interior paulista, conta que conheceu pessoalmente Essig e seus carros em outubro de 2011, antes de a história ganhar destaque nos veículos de comunicação.

As fotos que ilustram esta reportagem, inclusive, foram tiradas nessa ocasião pelo comerciante, que as cedeu para publicação em UOL Carros.

Santana e Quantum foram para colecionador

concessionária volkswagen Comercial Gaúcha Covipa estrela Otmar Essig Reginaldo de Campinas 2011 Quantum 1997 - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Quantum 1997 e Santana 199 não emplacados foram vendidos por Essig em 2012
Imagem: Arquivo pessoal

Reginaldo revela que, após a visita, Otmar vendeu em 2012 dois veículos a um colecionador do interior de São Paulo.

"Um cliente meu de Lajeado [RS], cidade vizinha a Estrela, avisou-me sobre a existência dessa concessionária fechada. Fui até lá para tentar adquirir alguns veículos, especialmente os Fuscas, mas os preços estavam muito altos e não fechamos negócio. Porém, passei o telefone de Essig a um colecionador, que acabou comprando dois carros".

De acordo com Gonçalves, esse colecionador, que também não quer dar entrevista nem fala o quanto pagou, está até hoje com os automóveis: um Santana 1999 vinho e uma Quantum 1997 verde.

"O colecionador faturou esses veículos em 2012, pois ainda estavam registrados no nome da concessionária", relata.

Fusca de R$ 200 mil?

concessionária volkswagen Comercial Gaúcha Covipa estrela Otmar Essig Reginaldo de Campinas 2011 Fusca Última Série 1986 - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Fusca Última Série 1986 é uma das joias que permanecem guardadas na concessionária
Imagem: Arquivo pessoal

Permanece no interior da loja um Fusca zero-quilômetro 1986 Última Série, edição de despedida da primeira fase de produção nacional do modelo.

Também há duas unidades zeradas do Fusca 1996 Série Ouro, que marcou o fim definitivo do compacto. "Em 2011, o proprietário disse ter recusado oferta de R$ 200 mil por esses Fuscas", diz Reginaldo de Campinas.

No mês passado, estabelecimentos vizinhos à Comercial Gaúcha já haviam confirmado à reportagem, por telefone, que a loja permanecia com os letreiros originais e veículos visíveis na vitrine.

Resta saber se o local, que se tornou ponto turístico de Estrela, cidade com pouco mais de 30 mil habitantes, e seus respectivos carros serão preservados no futuro.