PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro critica 'indústria da multa dos radares': "era um caça-níquel"

Radares em São Paulo - Newton Menezes/Futura Press/Folhapress
Radares em São Paulo
Imagem: Newton Menezes/Futura Press/Folhapress

Mateus Fagundes

São Paulo

26/04/2019 18h41

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar ontem em transmissão pelas redes sociais o que chamou de "indústria da multa" dos radares em rodovias federais.

O presidente relacionou a determinação dele de cancelar a instalação de novos radares à queda no número de acidentes e mortes no feriadão da Páscoa.

"Tomamos uma decisão, junto com o ministro Tarcísio (Gomes de Freitas, da Infraestrutura) de não mais aceitarmos a proliferação de radares do Brasil. Isso era um caça-níquel, uma indústria da 'multagem'. Conversei com o Tarcísio e vamos botar um fim de forma drástica nesta indústria da multa", afirmou.

Na transmissão, o presidente recebeu ainda o secretário da Pesca, Jorge Seif Júnior. Ao comentar irregularidades na concessão de seguro-defeso, Bolsonaro disse que é preciso ter "obrigação de zelar pelo dinheiro público".