PUBLICIDADE
Topo

Mora nos Clássicos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Dupla de exploradoras irá do Polo Norte ao Sul com um Citroën de 65 anos

Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodrigo Mora

O blog Mora nos Clássicos contará as grandes histórias sobre as pessoas e os carros do universo antigomobilista. Nesse percurso, visitará museus, eventos e encontros de automóveis antigos - com um pouco de sorte, dirigirá alguns deles também.

Colunista do UOL

12/06/2021 04h00

(SÃO PAULO) - Viagens de carro antigo pelo mundo não são novidade, mas algumas são peculiares. Como a que uma família argentina realiza há vinte anos, correndo o mundo a bordo de um Graham-Paige 1928. Ou a que uma dupla de exploradoras fará a partir de julho, descendo do Alasca à Terra do Fogo conduzindo um Citroën Traction Avant 1956.

Batizada de "Aventura Citroën Terra América", a viagem é, para os organizadores, um resgate das expedições promovidas pelo fundador da empresa, André Citroën, a partir dos anos 20, quando notou-se a importância do automóvel como um meio de explorar o mundo e aproximar os povos.

O carro já saiu do Le Conservatoire Citroën (espécie de museu da marca, na França) e segue rumo ao Alasca. Lá, Fanny Adam, principal idealizadora da jornada, monta no Traction Avant para, ao lado da fotógrafa Gaëlle Paillart, percorrer toda costa oeste da América do Norte até setembro.

Traction expedição  - Divulgação  - Divulgação
Fanny Adam (esq.) e Gaëlle Paillart
Imagem: Divulgação

Depois, assumirá o posto de repórter fotográfica Maéva Bardy, que seguirá com Adam até o Ushuaia em duas fases: América Central, de janeiro a maio de 2022, e América do Sul, de outubro de 2022 a janeiro de 2023. Ao todo, serão 40 mil quilômetros e 14 países. "O charme estético do Traction Avant é um verdadeiro trunfo que vai favorecer os contatos", diz a piloto do carro.

traction mapa - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

Tração dianteira

A história da Citroën começa em 4 de junho de 1919 com o Type A; 15 anos depois surge o Traction Avant.

Concebido em apenas 18 meses, foi a afirmação da Citroën como fabricante inovadora e questionadora dos padrões convencionais de construção e soluções. Além da carroceria monobloco e da tração dianteira, o Traction Avant inovava com freios hidráulicos nas quatro rodas e suspensão independente

A estreia ocorre com a versão 7, equipada com um motor de 1.303 cm3 e 32 cv, desdobrada nas variantes 7B (1.529 cm3, 35 cv) e 7C (1.911 cm, 46 cv). Depois do 7 veio o 11CV - o número se referia ao sistema europeu de taxação por cavalo-vapor, baseada não na potência, mas no tamanho dos cilindros do motor. O câmbio era de manual, de três marchas, cuja alavanca saía do painel.

Traction Avant - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

Para uma aventura tão extensa, escolheu-se um Traction Avant 11B Grand Raid, que já vem com certa bagagem no assunto: "saído da fábrica de Javel em abril de 1956, foi comprado em 2005 por Robert Muller, um fornecedor de peças mecânicas especiais para carros de ralis, que adaptou especialmente o veículo para efetuar grandes expedições durante 15 anos. Entre 2006 e 2017, o veículo percorreu o mundo: Austrália, Marrocos, Rússia, Itália, Europa do Norte, Argentina, Malásia, Tailândia, Cordilheira dos Andes, Sardenha, Córsega, Grécia, Portugal, Sicília", conta a organização do projeto.

Entre as modificações, há reforços gerais, radiador de maior capacidade e ventilação dupla, sistema elétrico de 12, ignição eletrônica, bomba elétrica de combustível e tanque de aço inoxidável de 70 litros e direção hidráulica, iluminação externa reforçada e isolamento térmico e acústico.

O percurso poderá ser acompanhado em tempo real neste link: https://terramerica.fr/suivre-expedition-terramerica/.