PUBLICIDADE
Topo

Benê Gomes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Honda City hatch flerta com esportividade, mas não abre mão do conforto

Conteúdo exclusivo para assinantes
Benê Gomes

Jornalista e produtor de TV, desde 2001 atua como profissional especializado no segmento automotivo. Assina o boletim diário Sexta Marcha, da Rádio Transcontinental FM de SP, dirige e apresenta o_ _Programa Momento Vox – BAND SP. É diretor da Onze Produções, produtora de vídeo e conteúdo digital, e é o idealizador do Programa Auto+, onde atuou por 15 anos

Colunista do UOL

06/03/2022 04h00

Depois da chegada oficial do novo Honda City sedã, no fim de 2021, chegou a vez experimentar a grande novidade da sua quinta geração, o New City Hatchback, versão inédita no Brasil.

Assim como aconteceu com o três volumes, a carroceria curta também é mais resistente, um pouco mais baixa e larga. A dianteira é praticamente a mesma, a não ser pelo desenho da grade, que é do tipo colmeia. Na lateral, uma coisa legal de observar são os retrovisores posicionados nas portas, e não mais próximo da coluna, detalhe que melhorou o campo de visão do motorista.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

Depois, chegando ao maior diferencial desta versão, vemos o desenho clássico de um hatchback, com caimento equilibrado do teto e linhas mais arredondadas na traseira. Mas é nesse ponto que a gente confirma um ponto fraco do New City Hatchback: o porta-malas com apenas 268 litros de capacidade.

Por dentro, as mesmas características do sedã, como o painel com linhas retas, acabamento emborrachado, costuras aparentes, entradas de ar maiores e a boa tela multimídia de 8 polegadas que permite espelhar o celular sem cabo. Na versão Touring, traz o Honda Lanewatch, que projeta imagens da câmera do retrovisor externo na tela multimídia, funcionando como um requintado assistente de ponto cego.

Mais uma novidade expressiva desta geração do New City é o Honda Sensing, pacote que reúne recursos avançados de segurança, como o controle de velocidade adaptativo, alerta de colisão frontal com frenagem automática, alerta de saída de faixa que corrige a trajetória do volante. E, vale o destaque, o New City é o primeiro modelo da Honda fabricado no Brasil a trazer pacote Sensing.

Agora, para analisar o interior do New City Hatch, a gente precisa ir para o banco traseiro, pois é onde dá para confirmar outros pontos positivos dele. O espaço para os passageiros é generoso, com bastante conforto para pernas, inclusive pelo piso praticamente plano na traseira.

Tem uma pequena limitação para cabeça por causa do caimento do teto, mas só vai incomodar pessoas muito altas. A situação só não é melhor para um terceiro passageiro, pois o centro do banco é elevado, vale mais a pena levar somente duas pessoas e tirar proveito do descansa braço com porta-garrafas.

Indo além, legal demais é conferir um recurso que o New City Hatch herdou do Fit, o sistema Magic Seat. Ele entrega muita versatilidade para carregar objetos grandes, como, por exemplo, uma bicicleta em pé. Basta suspender os assentos para abrir um espaço considerável.

Posição de dirigir e modo Sport para quem busca esportividade

Já para acelerar, o City Hatch também carrega o mesmo conjunto da versão sedã, o novo moderno motor 1.5 flex aspirado, que traz recursos como injeção direta de combustível, duplo comando variável de válvulas no cabeçote, entre outros.

Tem potência de 126 cavalos e torque de 15,8 Kgfm, força mais do que suficiente para o tamanho e a proposta do carro. Agora, ele trabalha com a transmissão automática do tipo CVT - que até traz o recurso que simula trocas de até sete marchas pelas aletas no volante - mas na média, com esse conjunto, as respostas são sempre mais tranquilas e confortáveis.

A suspensão contribuiu para isso, mesmo sendo um pouquinho mais rígida, tem acerto para o conforto, como o cliente da Honda gosta. Sem esquecer de outro trunfo dele, a garantia de baixo consumo de combustível. Pelos parâmetros do Inmetro, faz médias 13,3 km/l na cidade, e 14,8 km/l na estrada com gasolina.

Sim, mas estamos falando de uma carroceria hatchback, o que nos leva logo a imaginar que vamos encontrar um comportamento dinâmico mais esportivo. Bem, pra isso o New City Hatch oferece o modo Sport, o que permite sim explorar o motor em rotações mais altas, com respostas mais ágeis.

E para quem busca esse tipo de sensação ao volante, a situação é positiva ainda porque os bancos dianteiros têm desenho esportivo, com bons apoios laterais, e dá para deixar o banco do motorista numa posição mais baixa, fechando um cenário propício para explorar - mesmo que de forma mais modesta - as características de esportividade que um modelo com carroceria curta pode oferecer.

No final, o New City Hatchback agrada pelo desenho harmonioso, o pacote de segurança e o eficiente conjunto mecânico. Mas como acontecia antes, o City, mesmo sendo "New" e com carroceria hatch, não abre mão do compromisso com as características de um carro para a família. De qualquer forma, é uma boa novidade para um segmento cada vez mais carente de opções.

Preço Honda New City Hatchback

EXL: R$ 118.400,00

Touring: R$ 127.100,00

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.