PUBLICIDADE
Topo

Benê Gomes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Mais bonito e seguro, Kwid 2023 é pequeno com preço de gente grande

só para assinantes
Benê Gomes

Jornalista e produtor de TV, desde 2001 atua como profissional especializado no segmento automotivo. Assina o boletim diário Sexta Marcha, da Rádio Transcontinental FM de SP, dirige e apresenta o_ _Programa Momento Vox – BAND SP. É diretor da Onze Produções, produtora de vídeo e conteúdo digital, e é o idealizador do Programa Auto+, onde atuou por 15 anos

Colunista do UOL

27/02/2022 04h00

Cinco anos após a sua chegada ao Brasil, o Renault Kwid finalmente passou por uma renovação. Ficou mais bonito e seguro, recebeu um bom reforço de equipamentos e, como todo carro nesta situação, ficou bem mais caro.

A principal alteração visual está na dianteira e isso vale para as três versões: Zen, Intense e Outsider. Ganhou um novo conjunto de iluminação dividido em dois blocos, como a gente vê em vários modelos atualmente, com o DRL acima e os faróis embaixo, no para-choque, também redesenhado.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

Traz ainda nova grade no mesmo o padrão dos modelos Duster e Captur. A traseira mudou menos, apenas o grafismo das lanternas - que agora contam led nas versões Intense e Outsider - o para-choque tem novo desenho e ganhou defletores nas laterais.

Para que tem aquela pergunta na ponta da língua, sim, o Kwid segue com as rodas aro 14 com apenas três furos para os parafusos, algo que não compromete a segurança, como enfatiza a Renault. Em compensação, passa contar com rodas de liga-leve, algo inédito na linha Kwid (opcional na versão intermediária e item de série na Outsider).

Legal também é o pacote batizado de Biton, personalização de fábrica com pintura preta no teto e nos retrovisores. Por dentro, tem mudança no painel de instrumentos com iluminação de led - que lembra um painel digital - e nele traz também informações básicas do computador de bordo e indicador de marcha.

No quesito conectividade, a partir da versão Intense, conta com a boa central multimídia da Renault, a Media Evolution. A tela é de oito polegadas e o sistema permite espelhamento de smartphones com Apple Carplay ou Android Auto por cabo, e traz ainda Driving Eco2, sistema que monitora o modo de condução e dá dicas simples para o motorista aplicar e tentar reduzir o consumo de combustível em até 20%, segundo a Renault.

Passando para o conforto, tem ar-condicionado de série em todas as versões, novos revestimentos para os bancos e vidros com comando elétrico nas portas dianteiras.

Motor um pouco mais forte e econômico

Motor e câmbio seguem iguais no Kwid 2023, o 1.0 de três cilindros flex aspirado, mais a transmissão manual de cinco velocidades. Para ficar alinhado com as novas normas de emissões, a Renault fez um pequeno ajuste na central eletrônica, o que acabou trazendo um pouco mais de força para o motor: 1 cavalo a mais quando abastecido com etanol, e 2 cavalos quando abastecido com gasolina.

Na prática, o 1.0 SCe flex rende 71 cavalos de potência e 10,0 Kgfm de torque com etanol no tanque, força suficiente pra ele, sem dúvida, mas nada de criar expectativa com acelerações super ágeis. Mas o melhor da história são as novas médias de consumo, o que tem tudo a ver coma proposta do carro: pelos parâmetros do Inmetro, alcança 15,3 km/l com gasolina na cidade. O que ajuda bastante nisso é um recurso bem moderno, o start stop, que desliga e liga o motor quando você para no trânsito.

Outro ponto positivo envolve a segurança, pois o Kwid segue com os quatro airbags de série, mas agora reforçado pelo assistente de partida em rampa e os controles eletrônicos de tração e estabilidade em todas as versões. Algo muito expressivo porque traz mais confiança para esse subcompacto com total vocação urbana.

Ele é fácil de guiar, prático para estacionar, ou seja, bastante eficiente para quem anda muito sozinho ou no máximo com uma pessoa ao lado. Vai bem sim numa rodovia, mas, como se trata de um modelo pequeno e leve, com apenas 820 Kg, é mais vulnerável aos ventos, principalmente quando você cruza com veículos grandes.

Pois isso exige um pouquinho de cautela pra você viajar tranquilo. No mais, o novo Kwid, mesmo a Renault afirmando que não fez alterações na suspensão ou nos coxins, por exemplo, chama a atenção pelo conforto acústico. Em situação de estrada, onde você utiliza bastante o motor em rotações mais altas, o ruído externo é bem filtrado.

No final, é pura verdade que o Renault Kwid passa a viver novos tempos no Brasil, isso pensando em todos os recursos que ganhou e até na evolução de conforto e acabamento. Mas aí temos a questão do preço alto, algo que também não é exclusividade dele. No entanto, é duro pensar que um carro desse porte e com essa proposta, tenha preço a partir dos 60 mil reais, concorda?

Preços Renault Kwid 2023

Zen: R$ 59.980,00
Intense: R$ 64.190,00
Outsider: R$ 67.690

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.