PUBLICIDADE

Topo

VivaBem

EUA: agência aponta provável ligação entre miocardite rara e vacinas

Vacina da Moderna - Mike Segar/Reuters
Vacina da Moderna
Imagem: Mike Segar/Reuters

Michael Erman e Manojna Maddipatla

Da Reuters, em Nova Jersey (EUA) e Bengaluru (Índia)

23/06/2021 17h03

Casos raros de miocardite em adolescentes e jovens adultos provavelmente estão ligados a inoculações com as vacinas contra covid-19 da Pfizer/BioNTech e da Moderna, disse um grupo de médicos que aconselha o Centro de Controle e Prevenção de Doenças do Estados Unidos (CDC) em uma apresentação divulgada nesta quarta-feira.

O Grupo de Trabalho Técnico de Segurança de Vacinas contra Covid-19 (VaST) disse em seu relatório que o risco de miocardite ou pericardite após a inoculação com vacinas baseadas em RNA mensageiro em adolescentes e jovens adultos é notavelmente mais alta após a segunda dose e em homens.

Em outro relatório, o CDC disse que os pacientes com miocardite pós-vacinação geralmente se recuperam e ficam bem.

O Comitê de Aconselhamento de Práticas de Imunização (Acip) se reuniria nesta quarta-feira para avaliar a possibilidade de ligação entre o problema cardíaco e as vacinas de RNA mensageiro. O VaST é um subgrupo do Acip.

O CDC investiga casos de miocardite, sobretudo em homens jovens, há vários meses. No início deste mês, o Ministério da Saúde de Israel disse que viu uma ligação possível entre tais casos e a vacina contra Covid-19 da Pfizer.

Também no início deste mês, o CDC disse que ainda está avaliando o risco do problema e não confirmou uma relação causal entre as vacinas e a moléstia cardíaca.

Mas a agência disse que um número de homens jovens maior do que o esperado teve miocardite após a segunda dose de vacinas de RNA mensageiro, e que mais da metade dos casos relatados ocorreram em pessoas de 12 a 24 anos.

VivaBem