Topo

Como emagreci

Histórias inspiradoras de quem mudou a silhueta


Como emagreci

Após acordar sem ar, ele mudou de vida, perdeu 41 kg e virou maratonista

Ronny Marques/Arquivo pessoal
Imagem: Ronny Marques/Arquivo pessoal

Giulia Granchi

Do UOL VivaBem, em São Paulo

11/04/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Com 119 kg e pouca resistência física, Ronny Marques decidiu fazer dieta por conta própria
  • Inspirado por um colega de trabalho, começou a correr e descobriu uma paixão que o ajudou ainda mais em seu objetivo
  • Hoje, aos 41 anos, se tornou maratonista e já eliminou 41 kg. A seguir, ele conta como conseguiu:

"Tudo começou em uma noite de 2009. Eu estava pesando 119 kg e acordei no meio da madrugada com falta de ar.

No dia seguinte, fui almoçar e me deparei com um rapaz novo, por volta de 35 anos, com obesidade mórbida e fumando. Ele subia vários lances de escada e estava ofegante. Ver aquela imagem, logo após ter ficado sem ar dormindo, despertou algo em mim. Se não mudasse de vida, logo seria eu que estaria perdendo o fôlego ao encarar alguns degraus.

Estava com uma colega que adorava caminhar e disse: vou emagrecer. Ela duvidou, o que foi a melhor coisa para mim, pois me motivo e funciono melhor quando alguém acha que não posso alcançar algum objetivo.

Ronny Marques/Arquivo pessoal
Imagem: Ronny Marques/Arquivo pessoal
Comecei a fazer dieta por conta própria, e em pouco tempo cheguei a 105 kg. Meus hábitos eram difíceis de mudar, porque desde jovem comia besteiras, me jogava no fast-food e não tinha horários regrados para a alimentação.

Na adolescência até fazia esportes, mas só quando estava na escola. Minhas idas à academia também não eram frequentes e duravam, no máximo, 1 mês.

A maior mudança aconteceu quando conheci um rapaz no meu novo trabalho, o Denison, que é maratonista e sempre me chamava para correr. Toda vez que surgia o convite, eu respondia: 'Isso não é para mim, não'.

Mas ele plantou uma semente. Um dia, pensei que se o Denison me chamasse novamente, compraria um tênis no shopping perto do trabalho e iria com ele. E aconteceu.

No primeiro treino, corri 100 metros e andei mais 500 metros. Fiquei exausto e pensei que nunca mais voltaria. Achava que corrida era coisa de louco

Porém, depois de alguns dias, fiquei com vontade de tentar de novo. E corri essa mesma distância, um pouco melhor. Senti uma sensação de leveza.

Ronny Marques/Arquivo pessoal
Imagem: Ronny Marques/Arquivo pessoal
Passei a correr dia sim, dia não. Como Denison morava longe, ficou complicado para me acompanhar em todos os treinos. Mas isso não me desmotivou. Ia sozinho e colocava pequenas metas, como correr 1 km direto, depois 3 km... Quando cheguei aos 5 km, tive uma lesão na panturrilha e desanimei bastante.

Quando busquei ajuda médica, o profissional explicou que minha lesão aconteceu por sobrepeso e sugeriu que eu procurasse uma assessoria de corrida e uma nutricionista. Fui atrás e consegui uma nova dieta que conseguia seguir 90% do tempo.

Receber orientação nutricional foi fundamental para o meu sucesso. Aprendi a fazer refeições menores e comer com maior frequência, o que ajudou a impedir 'ataques' de fome e evitou que eu exagerasse nas refeições. Também entendi a importância de ingerir mais saladas e dispensar alimentos gordurosos... Foi realmente um aprendizado.

Eu me recuperei da lesão, voltei a correr e segui perdendo peso -- tudo devagar. Quando estava com 95 kg, consegui fazer meus primeiros 5 km sem caminhar. Então, decidi me inscrever na minha primeira corrida. Durante o percurso, achei que conseguia ir mas longe e tentei fazer o percurso maior do que estava acostumado, mas faltou preparo.

Ronny Marques/Arquivo pessoal
Imagem: Ronny Marques/Arquivo pessoal
Procurei uma assessoria de corrida e minha ideia era ficar só por três meses, para aprender a técnica do esporte. Mas peguei gosto. Hoje, já completei oito meias maratonas (21,097 km), uma maratona (42,195 km) e conheci diferentes lugares do Brasil correndo: Rio de Janeiro, Brasília, Cataratas do Iguaçu... E pretendo aumentar a lista.

No total, perdi 41 kg. A corrida me forçou a mudar tudo. Se não fosse a modalidade, teria parado ao alcançar 105 kg e nunca teria descoberto essa paixão. Hoje, não me vejo sem correr. Cuidar da minha saúde também ajudou na minha autoestima, e resolvi cuidar melhor de mim. Apostei em um implante capilar, fiz tatuagem... Completei a mudança da forma que me fazia mais feliz.

E o maior presente que ganhei com essa jornada, além de alguns prováveis anos de vida a mais, foi me tornar uma pessoa mais paciente. Aprendi a ouvir, já não sou mais estressado como era antes... Conquistei qualidade de vida e sem dúvidas sou uma pessoa mais satisfeita com o que tenho."

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube

Como emagreci