PUBLICIDADE

Topo

Paola Machado

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Envelhecer pode afetar a saúde mental; aprenda estratégias para lidar

 iStockphoto/Thinkstock
Imagem: iStockphoto/Thinkstock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Paola Machado

Paola Machado é formada em educação física, mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutora em ciências da saúde (foco em fisiopatologia da obesidade e fisiologia da nutrição) pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre exercícios, nutrição e saúde. CREF: 080213-G | SP

Colunista do UOL

17/12/2021 04h00

À medida que envelhecemos passamos por inúmeras mudanças, tanto físicas quanto mentais. Dessa forma, nossas necessidades mudam com o tempo e os problemas que você enfrenta hoje não são iguais aos da sua infância/adolescência.

De acordo com a American Psychological Association (APA), 1 em cada 4 adultos mais velhos tem um problema de saúde mental. Estamos vivendo uma fase totalmente diferente em que nossos níveis de estresse aumentaram absurdamente.

Para vocês terem uma ideia, de acordo com o Conselho Federal de Farmácias, em 2020, cerca de 100 milhões de caixas de medicamentos controlados foram vendidas (um aumento de 17% comparado a 2019). De acordo com o IQVIA (Quintiles and IMS Health), no Rio de Janeiro e Espírito Santo, no mês de maio de 2020 os ansiolíticos tiveram alta de 15% e os medicamentos contra insônia, 40%.

Embora você não possa controlar todas as transições físicas, psicológicas e sociais que ocorrem com a idade, aprender a lidar com elas de maneira saudável é a chave para sua saúde emocional.

Mudanças relacionadas à idade que podem afetar a saúde mental de idosos

Embora a experiência de cada pessoa com o envelhecimento e a saúde mental seja única, existem algumas mudanças comuns que ocorrem e que podem afetar seu bem-estar psicológico e emocional. Aqui estão alguns:

1. Problemas com a saúde física

Conforme você envelhece, seu corpo passa por mudanças e processos naturais. Entretanto, algumas mudanças podem causar problemas em sua atividade de vida diária. A menopausa, por exemplo, leva a flutuações hormonais que podem afetar com sintomas físicos e mentais —como oscilações de humor e ondas de calor.

Há também uma maior probabilidade de desenvolver condições crônicas de saúde, como hipertensão, doenças cardíacas ou problemas de mobilidade, além de redução de musculatura e força, levando a quadros de sarcopenia. Enfim, todas essas condições podem afetar muito sua saúde mental e física contribuindo para ansiedade e depressão.

2. Se aceitar na condição de ficar sentado

Já dei um exemplo aqui de um paciente com seus 41 anos, que se aposentou por conta de uma invalidez. Entretanto, ele começou a levar uma vida totalmente sedentária —relatava que ficava sentado o dia todo em uma nova poltrona que tinha adquirido depois que se aposentou, assistia TV e dormia.

Ele não tinha se dado conta de como a palavra "aposentadoria" tinha pesado em sua vida e, de fato, ele estava vivendo aquela condição. Sim, temos que entender que envelhecemos. Esse processo é natural. Porém, se temos 60 anos e somos saudáveis, podemos fazer musculação e ter uma vida ativa, pois, a medida que o tempo passa, é ainda mais necessário focar em exercícios específicos. Além disso, algumas pessoas se sentem perdidas e menos sociais, e isso pode afetar humor, levando a quadros de depressão e ansiedade.

3. Solidão ou isolamento social

Algumas pessoas se sentem mais solitárias e isoladas de seus amigos e família à medida que envelhecem. Isso pode ser em parte porque a proporção de pessoas mais velhas que vivem sozinhas aumenta com o avançar da idade.

Na verdade, aproximadamente metade das pessoas do gênero feminino aos 75 anos de idade ou mais vivem sozinhas, de acordo com a APA. Se você tem poucas pessoas com quem pode realmente compartilhar seus sentimentos e confiança, é provável que se sinta solitário, o que pode causar ansiedade e depressão. E isso se intensificou na pandemia.

Um estudo publicado no International Journal of Environmental Research and Public Health (2021) analisou o impacto de uma intervenção de estilo de vida de 12 meses em uma população de idosos com sobrepeso/obesidade e como o lockdown ou bloqueio por covid-19 afetou o programa.

Os participantes tinham entre 65 e 87 anos, o bloqueio foi responsável por uma redução drástica da atividade de vida diária, especialmente entre os participantes mais velhos, além de um aumento significativo da depressão em pessoas mais idosas.

4. Síndrome do ninho vazio

A síndrome do ninho vazio não é um diagnóstico clínico, mas é particularmente dolorosa para aqueles que criaram sua identidade em torno de serem pais. Essa experiência de perda pode afetar negativamente a saúde mental e levar a um humor deprimido. Embora possamos encorajar ativamente nossos filhos a se tornarem independentes, a experiência de desapego pode ser dolorosa e podemos achar difícil de repente não ter filhos em casa que precisem de seus cuidados.

Você pode sentir falta de fazer parte da vida diária de seus filhos —bem como da companhia constante. Já vi que vou passar por isso, porque já escrevo o tópico emocionada. De acordo com a Mayo Clinic, no passado pesquisas sugeriam que os pais que lidam com a síndrome do ninho vazio experimentaram um profundo sentimento de perda que pode torná-los vulneráveis à depressão, alcoolismo, crise de identidade e conflitos conjugais.

Entretanto, estudos recentes mostram que, quando bem administrado, um ninho vazio pode reduzir conflitos de trabalho e familiares e pode fornecer aos pais muitos outros benefícios, pois, quando o último filho sai de casa, os pais têm uma nova oportunidade de se reconectar, melhorar a qualidade de seu casamento e reacender interesses para os quais antes talvez não tivessem tempo.

Algumas estratégias podem ajudá-lo a proteger e apoiar sua saúde mental contra as transições e desafios do envelhecimento.

Priorize a atividade física. Pesquisas mostram que 30 minutos de exercícios aeróbicos três a quatro vezes por semana melhoram o humor e reduzem a ansiedade. Além do mais, manter a boa forma física também pode ajudar a preservar sua função cognitiva, reduzir o risco de problemas de saúde e manter sua independência.

Ingira alimentos saudáveis e ricos em nutrientes. Colocar no seu prato alimentos ricos em nutrientes, como frutas e vegetais, é vital para manter uma boa saúde mental em qualquer idade e não receber o suficiente de certas vitaminas pode afetar negativamente o seu bem-estar mental. De acordo com a Cleveland Clinic, a deficiência de vitamina D está relacionada a mudanças de humor e depressão e, de acordo com a Mayo Clinic, vitaminas B e folato insuficientes podem estar relacionados ao humor deprimido.

Qualidade de sono. A falta de sono pode prejudicar o seu humor ao longo do tempo —como sempre reforçamos aqui na coluna— contribuindo para o aumento da irritabilidade e da ansiedade. Por isso, procure ter uma qualidade de sono para sua saúde física e mental.

Procure ajuda profissional. Embora um quinto das pessoas com mais de 55 anos tenha um transtorno mental, menos de 3% dos adultos mais velhos procuram ajuda profissional para tratar e monitorar seus problemas, de acordo com a APA. Por isso, se sua ansiedade ou depressão interfere em sua vida diária, é importante procurar tratamento o quanto antes, antes que seu problema se torne incontrolável e com uma proporção que saia do seu controle. Os transtornos mentais não tratados estão associados a um maior risco de invalidez e adoecimento, bem como a uma menor qualidade de vida.

Fique conectado e mantenha uma vida social. Manter relacionamentos e ter apoio social é importantíssimo para melhorar o seu humor e reduzir a ansiedade. Experimente ter um momento da semana com a família e amigos e/ou expandir sua rede social.

Faça coisas de que você gosta. Para mim esse é o ponto mais difícil e farei um texto sobre esse tema. Quando você era mais jovem, pode não ter tido tempo suficiente para se dedicar às atividades e passatempos que adora. É por isso que envelhecer representa uma oportunidade incrível de fazer as coisas que você sempre quis. Reservar um tempo para relaxar e praticar o autocuidado é valioso para promover sentimentos de felicidade, diminuir o estresse e viver uma vida bem equilibrada.

Referências:

Mayo Clinic. Empty nest syndrome. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/healthy-lifestyle/adult-health/in-depth/empty-nest-syndrome/art-20047165

Mayo Clinic. Depression (major depressive disorder). Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/depression/symptoms-causes/syc-20356007

Mayo Clinic. Vitamin B-12 and depression: Are they related? Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/depression/expert-answers/vitamin-b12-and-depression/faq-20058077

Cleveland Clinic. Vitamin D Deficiency. Disponível em: https://my.clevelandclinic.org/health/articles/15050-vitamin-d—vitamin-d-deficiency

APA. Growing Mental and Behavioral Health Concerns Facing Older Americans. Disponível em: https://www.apa.org/advocacy/health/older-americans-mental-behavioral-health

APA. Older adults´ health and age-related changes. Disponível em: https://www.apa.org/pi/aging/resources/guides/myth-reality.pdf

OASH. Good mental health at every age. Disponível em: https://www.womenshealth.gov/mental-health/good-mental-health/good-mental-health-every-age