PUBLICIDADE

Topo

Paola Machado

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Quantos quilos é normal nosso peso variar em um dia? Entenda essa flutuação

iStock
Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Paola Machado

Paola Machado é formada em educação física, mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutora em ciências da saúde (foco em fisiopatologia da obesidade e fisiologia da nutrição) pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre exercícios, nutrição e saúde. CREF: 080213-G | SP

Colunista do VivaBem

22/09/2021 04h00

Quem nunca acordou se sentido muito mais leve —ou até mesmo viu que os ponteiros da balança marcavam um número menor do que o da noite anterior? Essa flutuação é algo totalmente normal e não significa necessariamente que você emagreceu (perdeu gordura) ou engordou (acumulou gordura).

Basicamente, o peso de uma pessoa é a soma da gordura corporal, da massa muscular, da água, dos ossos e dos órgãos e tecidos que há no nosso corpo. Porém, ao longo do dia, o peso médio de um adulto pode oscilar cerca de 2 kg, sendo que essa variação basicamente se resume ao quanto você comeu, bebeu, eliminou de fezes, urina ou suor (ao praticar exercícios).

Veja fatores que interferem no peso

- Ingestão de alimentos ou bebidas Enquanto não é absorvido ou eliminado nas fezes ou na urina, tudo o que você consome pesa dentro do corpo. E depois do processo de digestão, se o número de calorias ingeridas for maior do que o que você gasta (balanço energético positivo), essa energia será estocada em forma de gordura —para acumular 1 kg de gordura, é preciso consumir aproximadamente 7.700 calorias a mais do que seu organismo gasta, ou seja, é improvável ganhar 1 kg de gordura em um dia.

Uma dieta saudável e balanceada (equilibrando gasto e consumo ou gastando mais que consome) pode inibir uma flutuação significativa de peso ao longo do tempo. Algumas pesquisas, por exemplo, sugerem que nosso peso é maior na noite de domingo (após um fim de semana comendo besteiras ou ingerindo álcool) e menor na manhã de sexta-feira (após uma semana comendo normalmente).

- Consumo de sódio e carboidratos Alimentos ricos em sal e carboidratos podem fazer com que seu corpo retenha líquidos. Assim, seu peso pode aumentar até que o inchaço diminua. Para minimizar a retenção hídrica, reduza o consumo de bebidas açucaradas e alimentos processados e adicione alimentos ricos em potássio e magnésio —que ajudam a equilibrar o níveis de sódio.

- A urina e as fezes Nosso corpo utiliza alimentos e líquidos para hidratação e captação de energia e nutrientes. A sobra é expelida como muco, suor, urina e fezes, podendo causar uma ligeira oscilação no peso —por isso que é tão importante se pesar pela manhã, em jejum e após ter feito todas as necessidades.

- Exercícios O gasto energético proporcionado pela atividade física pode resultar na perda de gordura em longo prazo (se houver uma boa alimentação, que promova o déficit calórico). No entanto, a redução no peso logo após um treino ocorre porque você perdeu água no suor, não gordura.

Há uma diferença muito grande entre a perda de peso na balança (que é um número que considera tudo que há dentro do nosso corpo) e o emagrecimento (que é redução de gordura corporal). Quando realizamos exercício, nos alimentamos adequadamente e nos hidratamos corretamente, temos uma melhora na composição corporal —perdemos gordura e ganhamos músculos.

- Medicamentos Alguns remédios fazem com que o corpo retenha água —e ainda há os que podem aumentar o apetite ou alterar o metabolismo. Se você acha que seu medicamento está afetando seu peso, fale com seu médico, pois ele pode ajudar você a determinar o motivo da flutuação.

- Ciclo menstrual Em alguns períodos do ciclo menstrual, a oscilação hormonal faz com que o corpo da mulher retenha mais água, resultando em um leve ganho de peso. Você pode notar que seu peso é um pouco mais elevado do que o normal no primeiro dia de sua menstruação. Mas fique tranquila, pois seu peso diário deve voltar à média alguns dias após o início do seu ciclo.

- Ingestão de álcool O álcool não é processado da mesma forma que outras bebidas e alimentos, por isso pode levar mais tempo para que seu corpo o elimine. Também retarda a digestão de outras substâncias, o que pode levar à retenção hídrica. Além disso, o álcool contém calorias extras que você pode não estar contabilizando em sua dieta, que vão ser estocadas como gordura.

- Doenças Seu peso pode aumentar ou diminuir devido a uma patologia —ou como resultado de uma condição crônica. Embora condições como hipotireoidismo, síndrome de Cushing e síndrome dos ovários policísticos possam contribuir para ações que estão associadas ao ganho de peso, diabetes tipo 1 e doença de Crohn estão frequentemente associados a perda de peso inesperada. Se você estiver experimentando outros sintomas incomuns —ou tiver uma doença subjacente diagnosticada— consulte um médico.

Dicas ao se pesar

  • Seja consciente ao se pesar e saiba que o número mostrado na balança nem sempre indica que você ganhou ou perdeu gordura.
  • Se pese ao acordar, sempre no mesmo dia e horário, com o mínimo de roupa e em jejum.
  • Se pese uma vez por semana, pois você conseguirá estabelecer uma média de peso.
  • Não fique muito tempo sem se pesar, para não perder o controle de como está.
  • Cheque se sua balança está regulada e em uma superfície lisa.
  • Outro ponto importante é sempre se pesar na mesma balança --e se for uma balança portátil, sempre no mesmo local (até a mudança de piso pode alterar o resultado mostrado no painel).

Referências:

NIH. Why Is a Healthy Weight Important? Disponível em: https://www.nhlbi.nih.gov/health/educational/lose_wt/index.htm

NIH. Your Digestive System & How it Works. Disponível em: https://www.niddk.nih.gov/health-information/digestive-diseases/digestive-system-how-it-works

Cleveland Clinic. I Just Started Exercising — Why Am I Gaining Weight? Disponível em: https://health.clevelandclinic.org/just-started-exercising-gaining-weight/

Cleveland Clinic. When Is the Best Time to Weigh Yourself? Disponível em: https://health.clevelandclinic.org/when-is-the-best-time-to-weigh-yourself/

Cleveland Clinic. Wine and Your Waistline: Why You Aren't Losing Weight. Disponível em: https://health.clevelandclinic.org/what-is-wine-doing-to-your-waistline/

Mayo Clinic. How accurate are portable body fat analyzers? Disponível em: https://www.mayoclinic.org/healthy-lifestyle/fitness/expert-answers/body-fat-analyzers/faq-20057944

Mayo Clinic. How fit are you? See how you measure up. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/healthy-lifestyle/fitness/in-depth/fitness/art-20046433

Mayo Clinic. Unexplained weight loss. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/symptoms/unexplained-weight-loss/basics/causes/sym-20050700

CDC. Preventing weight gain. Disponível em: https://www.cdc.gov/healthyweight/prevention/index.html

OAC. Prescription Medications & Weight Gain. Disponível em: https://www.obesityaction.org/community/article-library/prescription-medications-weight-gain

Harvard. Fluid retention: What it can mean for your heart. Disponível em: https://www.health.harvard.edu/heart-health/fluid-retention-what-it-can-mean-for-your-heart

Butryn, M.L., Phelan, S., Hill, J.O. and Wing, R.R. (2007), Consistent Self-monitoring of Weight: A Key Component of Successful Weight Loss Maintenance. Obesity, 15: 3091-3096. https://doi.org/10.1038/oby.2007.368

Steinberg, D.M., Tate, D.F., Bennett, G.G., Ennett, S., Samuel-Hodge, C. and Ward, D.S. (2013), The efficacy of a daily self-weighing weight loss intervention using smart scales and e-mail. Obesity, 21: 1789-1797. https://doi.org/10.1002/oby.20396

White CP, Hitchcock CL, Vigna YM, Prior JC. Fluid Retention over the Menstrual Cycle: 1-Year Data from the Prospective Ovulation Cohort. Obstet Gynecol Int. 2011;2011:138451. doi:10.1155/2011/138451

Pacanowski C and Levitsky DA. Frequent Self-Weighing and Visual Feedback for Weight Loss in Overweight Adults. Journal of obesity. Volume 2015 |Article ID 763680 | https://doi.org/10.1155/2015/763680

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL