PUBLICIDADE

Topo

Paola Machado

Meu joelho faz barulho quando agacho ou corro, o que pode ser?

iStock
Imagem: iStock
Paola Machado

Paola Machado é formada em educação física, mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutora em ciências da saúde (foco em fisiopatologia da obesidade e fisiologia da nutrição) pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre exercícios, nutrição e saúde. CREF: 080213-G | SP

Colunista do VivaBem

11/11/2020 04h00

Os joelhos sofrem bastante no dia a dia. Eles suportam todo o tronco, são responsáveis pela locomoção e por absorver impactos. E não é raro pessoas relatarem que a articulação faz barulho. Mas como saber se esses sons vindos do seu joelho são motivo de preocupação?

O estalo em si não costuma fazer mal. Estudos revelam que o som decorre da formação de bolhas geradas por mudanças na pressão da articulação, que ao estourarem quando nos movimentamos fazem o som.

Apesar de o barulho assustar, ele pode ser comum ao dobrar repentinamente o joelho, subir escadas, ao agachar, caminhar ou correr. Mas isso não é motivo de preocupação caso não esteja acompanhado de outros sintomas, como dor ou inchaço

Preste atenção! Crepitação não é o mesmo que o som do estalo

Nesse caso, o barulho é diferente de um simples estalo. Há a sensação de areia ao dobrar os joelhos. Ocorre um amolecimento e enrugamento da cartilagem da patela, podendo causar edema, dor e sensação de cisalhamento (ruído áspero ao atrito) embaixo da patela, se associando à fraqueza muscular.

Lembre-se que os joelhos são articulações muito requisitadas em nossa rotina. Quando colocamos mais carga que o ideal sem uma preparação e fortalecimento prévio, isso pode levar ao desgaste e sobrecarga articular. Há fatores que predispõem ao aparecimento de sintomas de crepitação, por exemplo:

  1. Fraqueza muscular em quadril e joelho

  2. Alterações na marcha/pisada

  3. Excesso/falta de atividade física

  4. Deformidades no joelho ou quadril

  5. Frouxidão ligamentar

Estudos relataram que a crepitação pode representar o primeiro sintoma da osteoartrite patelofemoral. Além disso, as crepitações podem ser causadas por rupturas meniscais antigas, lesão da cartilagem, osteoartrite, instabilidade patelofemoral ou síndrome da dor patelofemoral.

Mas é importante detectar a causa dessas crepitações, que podem ser geradas pelo atrito natural entre os tendões e estruturas ósseas, ou envolver alterações anatômicas ou patológicas. Quanto à dor, especificamente, ela pode ter intensidades diferentes, atacar em um ou mais pontos, piorar depois de muito tempo parado na mesma posição ou ao acordar pela manhã —a chamada rigidez matinal.

Se além dos estalos você ouve ou sente as crepitações e rangidos na articulação, fique atento! Mesmo se ainda não apresentar dores, saiba que esses sinais e sintomas podem ser indicativos de mudanças estruturais e funcionais na articulação durante o movimento.

Tratamento

Para decidir a melhor estratégia é necessária uma avaliação detalhada. Na maioria dos casos, o principal objetivo do tratamento é a melhora da força muscular. A fraqueza muscular gera instabilidade na articulação e compensações ao realizar os movimentos. O acompanhamento de um profissional para correção da biomecânica da estrutura de joelho e quadril e o fortalecimento muscular específico é fundamental para tratamento e prevenção de lesões nos joelhos.

Dra Juliana Satake , Fisioterapeuta Unifesp e Dra Renata Luri, Fisioterapeuta Doutorada pela Unifesp

Referências:

  • Kim K.S, Seo J.H, Song C.G. An acoustical evaluation of knee sound for non-invasive screening and early detection of articular pathology. J. Med. Syst. 2012; 36: 715-722. https://doi.org/10.1007/s10916-010-9539-3.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL