PUBLICIDADE

Topo

Mapa da mina

Ela fazia faxina e hoje fatura US$ 1 milhão com empresa de limpeza nos EUA

Mila Garro, de 34 anos, fundadora da Fiv5 Star Cleaning, nos EUA - Márcio Amaral/Divulgação
Mila Garro, de 34 anos, fundadora da Fiv5 Star Cleaning, nos EUA Imagem: Márcio Amaral/Divulgação

Caroline Marino

Colaboração para Universa

30/08/2021 04h00

Diferentemente do Brasil, a faxina nos Estados Unidos é um serviço valorizado e bem remunerado. E a mineira Mila Garro, de 34 anos, fundadora da Fiv5 Star Cleaning, que atua com limpeza de casas e escritórios, soube aproveitar bem esse cenário e hoje é uma empresária de sucesso.

Lá, não há chefes e, sim, clientes. E as funções são bem definidas. "Somos muito valorizadas aqui. Não existe contratar alguém para todas as atividades da casa. Se o cliente quiser alguém que cozinhe, vai contratar um chefe de cozinha, assim como se precisar de uma pessoa para cuidar das crianças, vai buscar uma babá", explica. A empresa, fundada em 2011, tem 36 funcionárias e mais de 800 clientes em Charlotte, na Carolina do Norte, está em expansão para Miami e, em 2020, alcançou US$ 1 milhão de faturamento.

A história de Mila é marcada por muito trabalho, uma dose extra de coragem e personalidade para saber o que quer (ou não) para a sua vida. Vinda de uma família de policiais, a expectativa — e torcida — era para que ela seguisse essa carreira. Mas isso não estava nos planos da empreendedora. "Cheguei a prestar um concurso na área, mas não passei. Isso me deixou frustrada, mas estava certa de que aquele não era o meu caminho", diz.

Diante disso, aos 15 anos, ela resolveu passar uma temporada em Boston, nos EUA, onde uma de suas tias morava. Foi aí que o universo da limpeza entrou na sua vida. "Passei a ajudá-la no serviço e vislumbrei um caminho interessante", conta. Mas por conta dos estudos, ela precisou retornar ao Brasil. Aos 19, decidida a trilhar o caminho aberto pela tia, ela voltou ao país, mas dessa vez desembarcou em Miami. "Foi muito difícil, pois não falava nada de inglês. Lembro que chorei três dias seguidos, pensando o que faria a partir daquele momento", afirma. Mas voltar não era uma opção para Mila. Ela começou a trabalhar com limpeza em uma lanchonete, onde ficou por oito meses. "Era bem cansativo: entrava às 5h e saía só às 22h. Mas estava feliz e ganhando dinheiro", diz.

Uma mudança e o início de um negócio

Até que conheceu seu marido e veio o convite de ir para Carolina do Norte, no sudoeste do país. "No começo, ele não queria que eu trabalhasse, mas deixei o Brasil com vontade de trabalhar e vencer", lembra. Mila começou a limpar algumas casas e, depois de pouco mais de um ano, conheceu uma brasileira que estava voltando para o Brasil e queria repassar sua carteira de 30 clientes.

Mila investiu US$ 12 mil e assumiu a clientela. Em dois meses, a carteira triplicou. "De três casas no dia, passei a limpar sete e já não tinha mais vida", diz. O cenário da lanchonete se repetiu: ela começava a trabalhar às 5h da manhã e parava só depois das 21h. Ela passou, assim, a ter ajudantes. "No início, meu plano era juntar dinheiro e voltar para o Brasil, mas essa não era a ideia do meu marido e, com muita conversa, decidimos ficar", diz.

Ela começou a pesquisar os modelos de negócios dos americanos e veio a ideia de montar uma empresa, mesmo sem entender muito das questões empresariais. "Fazia toda a parte de gestão, no papel mesmo, e comecei com três meninas trabalhando na limpeza", explica. O negócio começou a ganhar forma. Em 2016, ela já estava com 400 clientes e 12 funcionárias. Era hora de se profissionalizar, mas faltava a Mila essa habilidade.

Com sistema profissional de gestão, empresa ficou mais organizada e seguiu crescendo - Márcio Amaral/Divulgação - Márcio Amaral/Divulgação
Com sistema profissional de gestão, empresa ficou mais organizada e seguiu crescendo
Imagem: Márcio Amaral/Divulgação

Até que um primo foi visitá-la e a ajudou a implementar um sistema profissional de gestão. A empresa explodiu e o primeiro milhão chegou. "Foi um momento marcante, mas inesperado. Não havia pensado que a empresa chegaria a esse ponto", diz. "Mas amava o que fazia e acredito que parte do sucesso foi consequência disso", completa.

Expansão e curso online

No final de 2019, um pouco antes da pandemia, Mila e o marido se mudaram para Miami. Apesar do receio do início e de ter ficado com dois pés atrás, ela viu ali uma oportunidade de expandir seu negócio. A empresária reviu toda a gestão da primeira unidade, reestruturando aspectos como captação de clientes e remuneração, e partiu para a mudança e a expansão.

Com a empresa indo muito bem em Charlotte, a empresária começou a projetar a abertura de uma filial na cidade do extremo sudeste da Flórida. E outras ideias surgiram. Como era muito procurada por pessoas interessadas no mercado da limpeza e cheias de dúvidas de como abrir um negócio, ela criou, este ano, um curso online, o Clean 8K. "A ideia é ensinar como empreender nessa área e fazer US$ 8 mil por mês", diz. A primeira turma foi um sucesso, com 65 alunas.

Sempre gostei de desafios. Se alguém diz que não vai dar certo, quero entender o porquê. E se não sei algo, vou aprender

Mila atribui o sucesso da empresa à muita persistência e coragem. "Sou assim desde criança. Sempre gostei de desafios. Se alguém diz que não vai dar certo, quero entender o porquê. E se não sei algo, vou aprender", diz. Ela conta que no início do curso, não sabia muito como usar as redes sociais para isso, por exemplo, mas foi atrás de conhecimento e em seis meses lançou o treinamento. "Quero encurtar o caminho das pessoas para alcançar o crescimento", diz.

Mapa da mina