PUBLICIDADE

Topo

Retratos

Instantâneos de realidade do Brasil e do mundo


Retratos

"Bolsonaro, eu que fiz": em live, Damares decora bolo e fala de violência

Ministra Damares Alves: "Se não sabe fazer bolo, faça roupas. Maquiagem também dá dinheiro" - Reprodução/Instagram
Ministra Damares Alves: "Se não sabe fazer bolo, faça roupas. Maquiagem também dá dinheiro" Imagem: Reprodução/Instagram

Camila Brandalise

De Universa

25/11/2020 13h40

Enquanto decorava um bolo com chantilly rosa, a ministra Damares Alves, do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, repetia o número do Whatsapp da entidade para que vítimas de violência de gênero entrem em contato para pedir ajuda. A saber, o número é (61) 99656-5008.

Acompanhada da confeiteira Ada Silva, de chapéu e vestimenta de chef de cozinha, Damares fez uma live em seu Instagram nesta quarta-feira (25), Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher. Cerca de 300 pessoas assistiram à transmissão, que durou uma hora.

Entre comentários sobre técnicas de confeitaria e piadas sobre sua falta de habilidade para a prática, a ministra tentava incentivar espectadoras a buscarem sua independência financeira, considerado um dos maiores empecilhos para vítimas se separarem de seus agressores.

"Se não sabe fazer bolo, faça roupas. Maquiagem também dá dinheiro. Para as mulheres vítimas de violência verem como é importante, que elas são capazes, se uma ministra conseguiu fazer, vocês conseguem", falou no fim, com o doce já decorado.

A reportagem entrou em contato com o ministério para saber o porquê de a ministra ter escolhido esse formato para falar sobre o tema e por quais motivos os incentivos foram apenas para esses trabalhos citados acima, mas não obteve resposta até a publicação desse texto.

"Um beijo pro pessoal do chantilly"

"Eu nunca fiz isso na vida", disse Damares antes de passar o chantilly nas camadas de massa recheadas à sua frente."Será que é por isso que meu marido foi embora de casa?"

Em um cenário todo rosa, da roupa à espátula, "porque menina veste rosa", segundo a ministra, ela começou elogiando as marcas parceiras da confeiteira que a acompanhava. "Beijo pro pessoal do chantilly Hulalá, vamos juntos mudar o Brasil, livre de violência contra a mulher".

"Manda um beijo do pessoal desse chocolate, Mavalério", pediu a profissional, atendida por Damares."Não tenho problema em falar o nome das marcas, estão patrocinando o projeto dela. Que outros empresários sigam esse exemplo, procure nosso ministério se você tiver um projeto para ajudar mulheres que estão em sofrimento", afirmou. "Agora olha a consistência disso, gente", continuou, voltando novamente para o chantilly.

"Sabe quem deveria estar aqui? A Michelle"

Enquanto envolvia o bolo com uma camada fina do creme, Damares riu: "Atenção presidente [Jair] Bolsonaro [sem partido], acabou a vergonha", referindo-se à falta de traquejo dela na cozinha.

"Sabe quem tinha que vir aqui? A Michelle [Bolsonaro, mulher do presidente], ela cozinha para aquele monte de homem, em casa tem muito menino, né?"

damares em live decorando bolo - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Enquanto decorava o bolo, Damares repetia os números do Ministério da Mulher para ajudar vítimas
Imagem: Reprodução/Instagram

Na sequência, fala mais uma vez sobre o número no Whatsapp e avisa que é possível fazer a denúncia de maneira anônima. "Temos uma equipe preparada em todo o Brasil, uma rede de proteção." Muda o tom sério ao ver a confeiteira segurando uma bisnaga, prestes a começar a decorar o bolo. "Opa, agora chegou a hora."

Após fazer diversas rosas de creme que cobriram toda a massa, comemora. "Bolsonaro, eu que fiz."

Vender bolos para aumentar o orçamento do MDH

Além de repetir os números de Whatsapp e o 180, a ministra pediu apoio de empresas para parcerias em iniciativas de ajuda a mulheres em situação de violência.

Mas não falou sobre possíveis novos projetos, e, em uma brincadeira, citou a possibilidade de melhorar o orçamento da pasta, que em 2021 terá um corte de 19% na Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres. "Aí, titio Guedes, manda dinheiro para eu fazer bolo para gente melhorar o orçamento do ministério", disse, referindo-se ao ministro da Economia, Paulo Guedes.

Citou o ministro novamente ao dizer que a retomada econômica no pós-pandemia vai depender da força de trabalho feminina. "Paulo Guedes, vou lhe dizer uma coisa, a recuperação econômica do Brasil vai passar pela mão das mulheres. Você sustentando a sua família já está mudando a economia", disse.

Ao final, se despediu dos espectadores pedindo que divulgassem os números que citou durante a live. "Se divulgar, já está sendo uma ativista conosco", afirmou. "Digam não à violência, tenham coragem [de denunciar]. Deus abençoe."

Retratos