Topo

Carreira e finanças

Zoë Kravitz: "Os primeiros 10 anos da minha carreira foram sobre me provar"

Getty Images
Imagem: Getty Images

Da Universa

03/06/2019 19h16

Zoë Kravitz sempre carregou no sobrenome algo difícil de esconder: ser filha de um superstar. Aos 30 anos, a atriz diz que sofreu pressão para mostrar seu talento: afinal, quando se é filha de Lenny Kravitz muitas portas podem se abrir, mas também se fechar.

Em entrevista a "Vogue" britânica, ela relembra o início da carreira e a época de escola. Na vida pessoal também faz planos ao lado do namorado, Karl Glusman, e comemora a estreia da segunda temporada de "Big Little Lies". "Eu amo o fato de a gente não ter se conhecido por um aplicativo ou em um set de filmagens", conta Zoë sobre o namorado.

"Meu amigo sabia que eu queria conhecer alguém -- não queria nada sério, acho que só queria transar, sendo bem sincera -- e aí ele trouxe o Karl. Eu imediatamente senti algo por ele. Mas aí ele se virou e começou a conversar com uma loira e eu fiquei tipo: 'O quê?'. Mas mais tarde ele me revelou estar nervoso", relembrou, admitindo que filhos estão nos seus planos, mas não agora. "Formar uma família definitivamente está em jogo, mas ainda é cedo".

A atriz foi criada pela mãe, que deu à luz aos 20 anos, em uma cidadezinha da Califórnia. Por conta da agenda atribulada, o pai nunca foi muito presente. No bate-papo, Zoë relembra os tempos de escola, que ela classifica como difíceis. O motivo? Ser uma jovem negra em um ambiente de maioria branca. "Meus colegas eram garotos brancos e ricos -- atletas e líderes de torcida -- e eu me sentia superalienada. Quando se é adolescente, você está tentando descobrir quem é, e quando não não existem pessoas como você, você se sente uma aberração", admitiu.

Além disso, aos 13 anos precisou lidar com um distúrbio alimentar. "Acho que isso aconteceu por muitas razões. Minha mãe era tão linda e tão magra. Eu me sentia desajeitada do lado dela. E aí tinha meu pai sempre cercado por modelos. Eu era baixinha e você começa a se sentir desconfortável com a sua própria imagem."

Sobre o pai, ela relembra com carinho dos dias que ele ia buscá-la na escola. "Eu lembro quando 'Fly Away' foi lançada e sempre que meu pai vinha me buscar toda a escola lotava o estacionamento. Eu sempre pensei: 'Eu sei que estou animada em vê-lo porque é raro ele vir me buscar, mas por que vocês estão assim'?"

Mesmo com o sucesso de sua personagem na série da HBO "Big Little Lies", que estreia no dia 9 de junho, ela revela que apenas agora consegue atribuir o sucesso ao seu próprio mérito. "Quando eu comecei a atuar na escola nunca sabia se eu era chamada para um papel por causa do meu talento ou do meu sobrenome. Mas estou aprendendo lentamente que nenhum diretor hoje vai me contratar por causa disso. Os primeiros dez anos da minha carreira foram sobre me provar. Agora, finalmente sinto que estou em um lugar em que posso dizer: 'eu mereço isso. Eu trabalhei duro para chegar aqui'."

Mais Carreira e finanças