PUBLICIDADE

Topo

Ativista LGBTQ+ é condenada por 'propaganda homossexual' na Rússia

Bandeira LGBTQ+ estendida na fachada da embaixada dos EUA na Rússia - Reprodução/Instagram
Bandeira LGBTQ+ estendida na fachada da embaixada dos EUA na Rússia Imagem: Reprodução/Instagram

Em Moscou

10/07/2020 13h22

A Justiça russa condenou hoje uma ativista a pagar uma multa por publicar desenhos de apoio à causa LGBTQ+ e que violam uma polêmica lei que criminaliza a "propaganda homossexual".

Julia Tsvetkova, de 27 anos, disse à AFP que foi multada em 75.000 rublos (cerca de US$ 1.100) por um tribunal em Komsomolsk, em Amur, no Extremo-Oriente, e que vai apelar da decisão.

Ela foi condenada pela Justiça por postar em mídias sociais desenhos que violam a lei contra "propaganda de relações sexuais não tradicionais com menores", adotada em 2013 e frequentemente usada para perseguir ativistas LGBTQ+.

Segundo documentos encaminhados à AFP, uma das publicações é uma ilustração que mostra duas bonecas russas apaixonadas, de mãos dadas, sob um arco-íris.

Em outra publicação, vê-se a famosa Catedral de São Basílio em Moscou com a palavra LGBT. Outro desenho mostra duas famílias homossexuais sorridentes com seus filhos, com a mensagem: "Família é onde o amor está".

Desde novembro de 2019, Tsvetkova também é processada por "difusão de pornografia" por desenhos e esculturas que representam vaginas. Até março de 2020, estava em prisão domiciliar em relação a este caso.

Diversidade