PUBLICIDADE
Topo

Inteligência artificial vence oito campeões mundiais em jogo de cartas

Jogo de cartas - Alessandro Bogliari/Unsplash
Jogo de cartas Imagem: Alessandro Bogliari/Unsplash

Núbia Da Cruz

Colaboração para Tilt

02/04/2022 16h49Atualizada em 02/04/2022 17h24

Um sistema com inteligência artificial conseguiu vencer oito humanos campeões mundiais de bridge, conhecido como o "xadrez das cartas". A vitória tem sido considerada um dos marcos no avanço da IA, pois o desafio exige mais habilidades humanas do que outros jogos de estratégia. As informações são do jornal The Guardian.

A tecnologia campeã, chamada NooK, foi desenvolvida pela startup francesa NukkaI. Segundo a empresa, o torneio foi realizado em Paris e durou dois dias.

Habilidades complexas

Ao contrário do xadrez, que já registrou vitórias de inteligências artificiais contra humanos, os participantes no Bridge têm mais de um oponente ao mesmo tempo. Além disso, é preciso reagir a cada jogada tentando se antecipar ao comportamento dos oponentes. O jogo depende da comunicação entre os parceiros.

Tradicionalmente, quatro jogadores se dividem em duplas. Vence o time que fizer maior pontuação. E são por essas características que a habilidade humana de raciocínio é importante.

No desafio envolvendo a IA, os humanos jogaram suas cartas contra uma dupla de robôs Nook. A tecnologia conseguiu ganhar 67 das 80 partidas (83%).

Os competidores vencidos foram Bénédicte Cronier, Thomas Bessis, Brad Moss, Roy Welland, Nevana Senior, Anna Gulievich, Mikael Rimstdedt, e Sabine Auken —que faz parte do hall da fama do bridge por ter participado de campeonatos pelo mundo. Ela ainda tem dois livros publicados sobre o jogo.

"Fiquei agradavelmente surpresa que um robô imita as habilidades humanas típicas", disse Nevena Senior, vezes campeã mundial de bridge pela Inglaterra e uma das desafiantes de NooK.

A pesquisadora de inteligência artificial Véronique Ventos, cofundadora da NukkAI, considera a tecnologia uma "IA de nova geração", pois o sistema é capaz de explicar suas decisões à medida que avança nas partidas.

Segundo a reportagem do The Guardian, o diferencial da IA é que ela primeiro aprende as regras do jogo e depois melhora suas habilidades através da prática, aprendendo a partir etapas mais comum aos humanos.

Confira a seguir alguns marcos de inteligências artificiais, segundo o The Guardian:

  • 1996: O campeão mundial de xadrez Garry Kasparov venceu uma partida contra o sistema inteligente de xadrez Deep Blue da IBM.
  • 1997: No ano seguinte, porém, a tecnologia derrotou Kasparov numa revanche de xadrez.
  • 2007: Pesquisadores da Universidade de Alberta, no Canadá, construíram um programa de computador que não conseguiu ser derrotado num jogo de damas. Antes do feito, eles simularam 500 bilhões de posições das peças do jogo.
  • 2011: O computador Watson da IBM derrotou os competidores Brad Rutter e Ken Jennings em um jogo de perguntas e respostas do programa televisivo chamado "TV Jeopardy!". Por sua vitória, a máquina ganhou o prêmio de US$ 1 milhão.
  • 2016: A inteligência artificial do Google chamada AlphaGo venceu o campeão mundial do jogo de tabuleiro chinês "Go". O sistema, do Google DeepMind, derrotou o competidor Lee Sedol por 4-1. As partidas foram transmitidas ao vivo no YouTube. Na época foi destacado que a complexidade do "Go" era maior: 10^700 situações possíveis de tabuleiro, contra 10^60 do xadrez.