PUBLICIDADE
Topo

Motorola Edge 20 Pro x Galaxy S21 Ultra: o que esses tops têm de melhor?

Comparamos o Motorola Edge 20 Pro e o Samsung Galaxy S21 Ultra e elegemos o melhor em cada quesito - Tilt
Comparamos o Motorola Edge 20 Pro e o Samsung Galaxy S21 Ultra e elegemos o melhor em cada quesito Imagem: Tilt

Vinícius de Oliveira

Colaboração para Tilt, em São Paulo

14/12/2021 04h00Atualizada em 14/12/2021 10h27

Segundo lugar entre as maiores vendedoras de celulares do Brasil, a Motorola tem investido no mercado dos telefones top de linha, onde reinam Samsung e Apple. Para bater de frente, ela lançou recentemente o Edge 20 Pro.

A empresa trouxe recursos de alto nível e economizou em outros lugares, resultando em um aparelho top de linha com preço mais acessível: R$ 4,5 mil no varejo. O valor é menor que o Galaxy S21 Ultra, da Samsung, hoje encontrado por R$ 5,4 mil nas lojas, mas que foi lançado por quase R$ 10 mil.

Para entender o que cada um tem de melhor a oferecer, Tilt testou e comparou os dois modelos. Confira:

  • Motorola Edge 20 Pro: 163 mm x 76 mm x 8 mm e 190 gramas
  • Galaxy S21 Ultra: 165,1 mm x 75.6 mm x 8.9 mm e 229 gramas

Em termos de visual, o Edge 20 Pro é mais do mesmo. A traseira de vidro fosco disfarça marcas de dedo e as três câmeras ficam em um módulo saltado. O leitor de impressões digitais fica no botão de ligar e há um botão extra do lado esquerdo que serve para convocar o Google Assistente. O aparelho não possui proteção total contra água.

O Galaxy S21 Ultra possui tamanho similar ao concorrente, mas é um pouco mais pesado. Na parte traseira, são quatro câmeras e um flash em um módulo também saltado. As laterais são de alumínio e a traseira é de vidro fosco. Possui certificação de proteção IP68 contra poeira e resistência à água.

Veredito: Por ser resistente à água e ter um design mais bonito, optamos pelo Galaxy.

  • Motorola Edge 20 Pro: 6,7 polegadas (17,01 cm), Oled, resolução Full HD+ (2.400 x 1.080 pixels) e 144 Hz
  • Galaxy S21 Ultra: 6,8 polegadas (17,20 cm), Amoled Dinâmico 2x, resolução Full HD+ (3.200 x 1.400 pixels) e 120 Hz

O que chama a atenção do Edge 20 Pro é a taxa de atualização, que melhora a fluidez nas imagens, animações e a rolagem de tela. Você pode configurar o celular para que ele fique sempre nos 144 Hz ou para que mude automaticamente para 60 Hz quando não houver necessidade.

O visor não possui curvas nas laterais, o que evita toques acidentais nas beiradas.

O mesmo não acontece com o S21 Ultra, que possui bordas arredondadas que podem atrapalhar em alguns momentos (você pode esbarrar na tela sem querer, por exemplo). Aqui, a taxa de atualização é de 120 Hz e, quando o celular fica parado, ela cai para 10 Hz para economizar energia.

Veredito: Optamos pelo aparelho da Motorola. Apesar da resolução de tela um pouco mais baixa, é algo que faz pouca diferença nesse tamanho de display. A taxa de atualização mais rápida também pode agradar quem gosta de jogar com o celular.

  • Motorola Edge 20 Pro: 4.500 mAh
  • Galaxy S21 Ultra: 5.000 mAh

Em média, a bateria do Edge 20 Pro dá conta de quase um dia inteiro de uso normal. A empresa entrega um carregador rápido de 30 W, que promete levar o celular de 0% a 100% em pouco mais de 1 hora e 10 minutos.

O Galaxy S21 Ultra vem com bateria um pouco maior, mas também não é suficiente para sobrar. Em um dia de uso intenso, com jogos, fotos, vídeos e apps de transporte, ela chegou ao fim do dia com 20%.

De negativo, o aparelho não vem com carregador de tomada na embalagem. De positivo, ele aceita carregador sem fio e faz carregamento reverso.

Veredito: Pensando em custo-benefício, o Edge 20 Pro ganha pelo carregador na caixa.

  • Motorola Edge 20 Pro: câmera tripla traseira (principal de 108 MP, ultra-angular de 16 MP e periscópio de 8 MP) e frontal (32 MP)
  • Galaxy S21 Ultra: câmera quádrupla traseira (principal de 108 MP, ultra-angular de 12 MP, teleobjetiva de 10 MP e periscópio de 10 MP) e frontal (40 MP)

Traseira

O Edge 20 Pro surpreende com o melhor conjunto de câmeras que a Motorola colocou em um celular até hoje. A lente periscópio é a mais interessante, por imitar a engenharia dos visores de submarino, alcançando níveis extremos de zoom (até 50x) sem perder resolução

O sensor chega bem perto de qualquer cena, embora deixe as cores mais pálidas e perca o controle de foco, segundo nossos testes.

Já o S21 Ultra usa inteligência artificial para combinar a lente teleobjetiva e a lente periscópio para fazer o que a Samsung chama de "zoom espacial", de até 100x.

No máximo, a estabilidade e a qualidade da foto ficam a desejar, mas o celular vira uma espécie de telescópio. O que dá para fazer de bacana é tirar fotos da Lua, algo que poucos smartphones conseguem.

Veredito: Optamos pelo S21 Utra, que possui um conjunto de lentes que pode ser mais interessante em determinadas situações.

Frontal

Para o uso do dia a dia, ambas as câmeras são boas e parecidas. As marcas tiraram o filtro de "embelezamento" automático, que deixava a pele do rosto com um aspecto artificial, e os dois modelos possuem modo retrato.

Veredito: No desempate técnico, o S21 Ultra ganha por gravar vídeos em 4K com 60 fps (frames por segundo).

  • Motorola Edge 20 Pro: Snapdragon 870 (3.2 GHz, octa-core), 12 GB de memória RAM; 256 GB de armazenamento
  • Galaxy S21 Ultra: Exynos 2100 (2.9 GHz, octa-core), 12 GB de memória RAM; 256 GB ou 512 GB de armazenamento

Lançado em 2020, o processador Snapdragon 870 ainda figura entre os tops de linha. Acompanhado de até 12 GB de memória RAM, o chip consegue equilibrar o consumo de energia com o alto desempenho.

Testado por Tilt, o aparelho não travou uma vez sequer. Em jogos mais pesados, como "Free Fire", deu para notar um certo atraso na renderização das imagens (conhecido como lag).

Já o S21 Ultra rodou jogos pesados como "Asphalt" sem engasgos e com gráficos no máximo.

Na análise de desempenho do Geekbench, o Edge 20 Pro fez 3.117 pontos em multi-core (teste que estressa os oito núcleos do processador ao mesmo tempo) e 969 pontos em single-core (teste que estressa um só núcleo).

O S21 Ultra teve resultados um pouco menores: foram 3.078 pontos em multi-core e 923 pontos em single-core.

Veredito: Por ter se saído melhor em benchmark, optamos pelo Edge 20 Pro

O Edge 20 Pro aposta na plataforma Ready For da Motorola. O sistema permite conectar o celular a um monitor ou TV para usá-lo como se fosse um computador, em vez de simplesmente espelhar o conteúdo sem fio. Porém, nem todo aplicativo funciona bem e há um visível atraso entre o comando dado ao celular e a resposta na tela.

O S21 Ultra, por sua vez, traz como diferencial o suporte à caneta S Pen (vendida separadamente) e um link com Windows 10, que possibilita executar aplicativos do smartphone diretamente do PC.

Veredito: O Ready For parece ótimo na teoria, mas na prática deixou a desejar. Portanto, optamos pelo S21 Ultra.

  • Motorola Edge 20 Pro: a partir de R$ 4.499,10 à vista na loja da Motorola; R$ 3.399 (lojas varejistas)

  • Galaxy S21 Ultra: a partir de R$ 6.199 (lojas varejistas)

Atualmente, o S21 Ultra tem um custo-benefício menor do que o Edge 20 Pro. O celular da Motorola pode ser encontrado por bem menos em sites de comércio eletrônico.

O S21 Ultra tem lá suas vantagens, como proteção contra água e as lentes da câmera principal. Mas o valor ainda está bem alto.

Em outros aspectos como bateria e processador, os dois tiveram um desempenho bastante similar, com vitória por pequena margem do Edge 20 Pro.

Asus ROG Phone 5 (R$ 5.399,10), Xiaomi Mi 11 5G (R$ 4.654,05) e Huawei P30 Pro (R$ 4.900,00) são outros modelos nessa faixa de preço que valem ficar de olho também.

Veredito: Com preço mais baixo hoje, optamos pelo Edge 20 Pro.

*Valores consultados em 13 de dezembro de 2021. Os preços podem sofrer alteração.