PUBLICIDADE
Topo

O wi-fi da sua casa está ruim? A culpa pode ser dos espelhos

"Nossa, o roteador ficou lindo na mesa espelhada! Pena que não funciona..." - Getty Images/iStockphoto
"Nossa, o roteador ficou lindo na mesa espelhada! Pena que não funciona..." Imagem: Getty Images/iStockphoto

Rodrigo Lara

Colaboração para Tilt, em São Paulo

02/12/2021 04h00

O sinal de wi-fi da sua casa está oscilando? Se o seu lado narcisista anda muito aflorado e você tem diversos espelhos pela casa, é bem provável que eles sejam os culpados.

"Espelhos e superfícies metálicas podem ajudar ou atrapalhar a propagação do wi-fi", diz Rafael Cortes, gerente da linha de redes e provedores da Multilaser. "Mas se os espelhos estiverem posicionados muito próximos das fontes de sinais de wi-fi, aí prejudica drasticamente a qualidade do sinal sem fio."

O problema dos espelhos está justamente na sua construção. Por serem, basicamente, um vidro recobrindo uma superfície de metal, eles interferem em ondas eletromagnéticas.

"Diminui a propagação do sinal wireless e, consequentemente, a área de cobertura e a qualidade da rede", completa Everson Alex Johansson, analista de confiabilidade da Intelbras.

Mas calma lá: antes de sair pela sua casa doando todos os espelhos, é importante ressaltar que a interferência desses objetos no sinal de wi-fi depende de alguns fatores, como a quantidade e a localização dos objetos.

"Para haver interferência, precisam ser muitos espelhos expostos. Em uma casa, normalmente, essas peças ficam em ambientes fechados, como banheiros", explica João Carlos Lopes Fernandes, professor de engenharia de computação no Instituto Mauá de Tecnologia.

Ou seja: se você tem espelhos próximos do roteador wi-fi, é uma boa ideia mudar um ou outro de lugar.

E sempre vale checar se o vilão do sinal não é outro.

Equipamentos que trabalham com ondas de rádio tendem a interferir no funcionamento do roteador. É o caso do telefone sem fio, por exemplo. Mas nesta lista também podemos incluir: babás eletrônicas, transmissores de TV, aquários e fornos de micro-ondas.

De maneira geral, qualquer equipamento que opere na mesma frequência dos roteadores (em geral, 2,4 GHz e 5 GHz) —ou que, eventualmente, gere ruídos eletromagnéticos que causem interferências nessa faixa de frequência usada pelos roteadores— tem o potencial de "estragar" o seu sinal de wi-fi.

Objetos metálicos próximos ao roteador também tendem a causar problemas.

Até mesmo a sua própria casa pode ser uma vilã. "Paredes mais grossas pioram o sinal do wi-fi. O mesmo vale para a distância entre os cômodos, que faz o sinal ficar mais fraco. É a chamada atenuação", diz Fernandes.

Onde colocar o roteador?

De qualquer maneira, boa parte dos problemas podem ser atenuados ao se posicionar o roteador da melhor maneira possível.

"Quanto mais no centro da área que se deseja cobrir com sinal, melhor. As ondas eletromagnéticas se propagam para todas as direções a partir do roteador, e esse sinal enfraquece conforme a distância. Além disso, posicionar em um local mais alto é uma boa ideia, pois evita os obstáculos que geralmente estão em níveis mais baixos", orienta Johansson.

Se a sua casa tiver muitos cômodos ou paredes muito grossas, pode ser uma boa ideia investir em repetidores de sinal ou, ainda, em roteadores do tipo mesh, uma tecnologia mais avançada.

Por fim, se o seu roteador for do tipo "dual band" e oferecer conexões de 2,4 GHz e 5 GHz —não confundir com 5G—, tenha atenção na hora de se conectar.

"Redes de 2,4 GHz geralmente são indicadas para um uso mais moderado, como ler emails, fazer compras online e tarefas leves. Já o 5 GHz, por ter canais mais amplos e maior poder de transmissão de dados em grande volume, é indicado para funções pesadas como streaming de vídeos, jogos online e downloads de grandes arquivos", completa Cortes.

Quer testa a velocidade da sua internet? Nós temos um teste:

O UOL pode receber uma parcela das vendas de planos de telefonia sugeridos ao final do teste de velocidade.