PUBLICIDADE
Topo

Tem até de graça! Veja os melhores apps para baixar música no celular

Aplicativos para baixar música variam entre pagos e gratuitos - FG Trade/Getty Images
Aplicativos para baixar música variam entre pagos e gratuitos Imagem: FG Trade/Getty Images

Matheus Adami

Colaboração para Tilt

12/04/2021 04h00Atualizada em 02/07/2021 19h10

Ter um aplicativo para baixar música no celular é algo necessário para milhões de pessoas - seja grátis ou pago. Para se ter uma ideia, a base de assinantes do Spotify —maior plataforma do gênero no mundo— saltou de 130 milhões de pessoas em abril de 2020 para 155 milhões em março de 2021, com presença em 178 países.

Apesar do domínio da maior fatia do mercado de streaming de áudio, o Spotify está longe de ser o único aplicativo para baixar música disponível na internet. Confira os melhores apps para fazer download de música e escolha o seu:

Spotify

spotify - iStock/Getty - iStock/Getty
Spotify
Imagem: iStock/Getty

O rei do mercado de áudios vem ganhando espaço não apenas dentro do mercado musical, mas também no campo dos podcasts. Fundado em 2006 na Suécia e lançado oficialmente em 2008, o Spotify tem números que impressionam: 70 milhões de músicas e mais de 2,2 milhões de podcasts disponíveis para seus 345 milhões de clientes —destes, 155 milhões assinam alguma das versões pagas do serviço.

A opção de baixar música, seja em álbuns ou playlists, está disponível apenas para os assinantes do Spotify, embora quem se registra na conta gratuita consegue fazer download de podcasts. O Spotify está disponível para Android, iOS e têm versões para Windows e Mac.

Além do acesso completo a todas as funcionalidades do app, assinantes ouvem músicas sem interrupções nem propagandas, conseguem pular faixas à vontade —para as contas gratuitas, há limite de seis faixas por hora— e ouvir músicas na ordem que quiser.

Quanto custa?

  • Assinatura individual por R$ 16,90 por mês;
  • Plano Duo, com duas contas, por R$ 21,90;
  • Plano Família - com seis contas, aplicativo separado para crianças e possibilidade de bloqueio de faixas com conteúdo explícito -, por R$ 26,90;
  • Plano Universitário para os estudantes por R$ 8,50 mensais.
O Spotify oferece um mês gratuito antes de cobrar a assinatura.

Palco MP3

palco - Reprodução - Reprodução
Palco MP3
Imagem: Reprodução

O Palco MP3 é um aplicativo que foca em música brasileira. O app é mineiro de Belo Horizonte, não cobra taxas e nem exige a criação de conta para baixar músicas. Por isso, há anúncios e disponibiliza um catálogo grande para desktop e aplicativos para iOS e Android.

No portfólio do Palco MP3 há artistas conhecidos como Os Barões da Pisadinha, Péricles, Leonardo, Léo Santana, Naiara Azevedo, Parangolé e Joelma, entre outros. É possível baixar músicas desses artistas gratuitamente. Alguns, como Jota Quest, estão presentes no aplicativo mas não permitem o download das faixas.

Quanto custa?

É totalmente gratuito.

Sua Música

sua - Reprodução - Reprodução
Sua Música
Imagem: Reprodução

Assim como o Palco MP3, o Sua Música é um aplicativo focado em música brasileira. Também gratuito —e com anúncios— permite baixar e ouvir músicas offline.

No catálogo estão muitos dos artistas presentes no Palco MP3. O Sua Música está disponível para desktop e também para iOS e Android.

Quanto custa?

Gratuito. Existe a versão Premium, sem anúncios, pelo valor de R$ 3,90 mensais.

Deezer

deezer - Reprodução - Reprodução
Deezer
Imagem: Reprodução

A oferta do catálogo do Deezer é atrativa: são 73 milhões de músicas disponíveis na plataforma, segundo dados da empresa. Fundado na França e lançado em 2007, o serviço também oferece podcasts e a possibilidade de baixar músicas para ouvir offline.

Assim como o rival Spotify, para baixar música no aplicativo é preciso ser um assinante. Quem tiver conta gratuita tem acesso a músicas e podcasts, mas com limitações: publicidade entre as faixas e limite de faixas puladas.

O Deezer está disponível para iOS, Android e em versões para computador.

Quanto custa?

O Deezer tem parcerias com TIM, Mercado Livre, Itaú e Americanas Mais que alteram —ou até isentam— o valor da assinatura de algum dos planos pagos abaixo:

  • A assinatura individual (Deezer Premium) custa R$ 16,90 mensais e existe a possibilidade de pagamento anual, com desconto de 25%;
  • Plano Family sai por R$ 26,90 e dá direito a seis contas;
  • Plano HiFi, que promete maior qualidade de áudio --no formato FLAC, de maior qualidade--, custa R$ 26,90 e disponibiliza uma conta;
  • Plano Student custa R$ 8,45, para estudantes entre 18 e 25 anos.

Para todos os planos há meses de gratuidade. Os planos Premium, Family e HiFi oferecem três meses de graça. Para o Student, o benefício dura apenas um mês.

Apple Music

apple music - Reprodução - Reprodução
Apple Music
Imagem: Reprodução

O Apple Music tem 70 milhões de músicas e também oferece a possibilidade de assinatura, playlists e rádios ao vivo. Além do iOS, está disponível no sistema Android.

O serviço é mais recente do que os rivais Spotify e Deezer. Enquanto estes foram lançados, respectivamente, em 2008 e 2007, o Apple Music surgiu em 2015.

Quanto custa?

O Apple Music é diferente dos demais aplicativos porque ele, segundo a marca, não tem veiculação de anúncios. Não por acaso, o aplicativo não tem planos gratuitos.

Oferece três modalidades de serviço:

  • Plano individual por R$ 16,90 por mês, com direito a uma conta;
  • Plano familiar por R$ 24,90, com seis contas;
  • Plano universitário por R$ 8,50 mensais.

A empresa oferece três meses de gratuidade como teste. Em todos é possível baixar músicas para ouvir offline.

Amazon Music

amazon - Reprodução - Reprodução
Amazon Music
Imagem: Reprodução

Embora tenha chegado ao Brasil só em de 2019, o Amazon Music existe desde 2007 nos Estados Unidos. Está disponível para iOS e Android. No Brasil, há uma série de planos de assinaturas. A diferença entre eles, além do preço cobrado, é a quantidade de músicas disponíveis.

Quanto custa?

O plano gratuito do serviço se chama Amazon Music Free. A empresa não informa o número de faixas disponíveis. Apenas diz que há "milhares de estações grátis" e "playlists grátis como Frescor MPB e Balada Sertaneja". Para ouvir, basta fazer o cadastro na plataforma.

Incluso no Amazon Prime —assinatura de diversos serviços da empresa, que custa R$ 9,90 mensais— está o Prime Music, que permite baixar músicas para ouvir offline. Embora seja possível pular faixas à vontade, a limitação está no número de músicas disponíveis: mais de 2 milhões.

A modalidade mais parruda do Amazon Music é o Amazon Music Unlimited. Aqui, são três os planos disponíveis:

  • Echo, por R$ 6,90 mensais (e a possibilidade de integrar com a Alexa) e mais de 60 milhões de músicas disponíveis;
  • Individual, por R$ 16,90 mensais;
  • Familiar, por R$ 25,90 por mês.

Os planos Individual e Familiar dão acesso a mais de 70 milhões de músicas. A diferença é que o familiar permite até seis contas.

YouTube Music

youtube - Reprodução - Reprodução
YouTube Music
Imagem: Reprodução

O YouTube Music, braço musical da empresa, chegou ao Brasil em 2018 e está disponível tanto para Android como iOS. Playlists de música criadas na plataforma de vídeos ficam automaticamente disponibilizadas no YouTube Music, apesar de os apps serem diferentes.

É possível usar o aplicativo de forma gratuita. Mas há o mesmo inconveniente da versão em vídeo do YouTube: anúncios e a impossibilidade de baixar músicas para ouvir offline.

Quanto custa?

  • YouTube Music Premium: R$ 16,90 por mês e permite baixar músicas para ouvir sem internet e conexão a outras plataformas;
  • Plano Família: com até cinco contas, custa R$ 25,50;
  • Plano Estudante por R$ 8,50 mensais.

Todos oferecem um mês de gratuidade.

Tidal

tidal - Reprodução - Reprodução
Tidal
Imagem: Reprodução

O Tidal é mais conhecido por ser um dos negócios do rapper Jay-Z do que pelo serviço em si. Lançado em 2014 e no Brasil desde 2015, a ferramenta se destaca por oferecer músicas e vídeos. No catálogo, segundo a empresa, estão disponíveis mais de 70 milhões de faixas e 250 mil vídeos.

Diferentemente de aplicativos como Spotify e Deezer, o Tidal não disponibiliza planos gratuitos. A única forma de explorar o aplicativo sem pagar é fazendo uma assinatura e aproveitando os 30 dias grátis. Está disponível para Android e iOS.

Quanto custa?

Depende da modalidade. São duas oferecidas atualmente pelo serviço: Premium e HiFi.

A modalidade Premium oferece três planos: o Standard, que custa R$ 16,90 mensais após os primeiros 30 dias, mas é possível estender o período de teste para 60 dias pagando R$ 5; o Family, que oferece cinco contas familiares custando R$ 25,35; e o Student, que custa R$ 8,45.

Na modalidade HiFi são disponibilizados planos com qualidade de áudio superior. O plano Standard custa R$ 33,80 mensais e oferece som com qualidade de CD (superior à média dos streamings) e master (a gravação original da canção em estúdio). Planos Family (R$ 50,70) e Student (R$ 16,90) também estão disponíveis, assim como o período de teste.