PUBLICIDADE
Topo

Google passa a mostrar quais dados o Chrome coleta no iPhone, e são muitos

Reprodução
Imagem: Reprodução

Colaboração para Tilt

19/03/2021 16h22Atualizada em 20/03/2021 10h19

O Google atualizou os aplicativos para iOS com rótulos de privacidade na App Store e detalhou o tipo de dado que coleta das pessoas em aparelhos da Apple. Assim que fez a atualização, o gigante de tecnologia passou a sofrer fortes críticas pela quantidade de dados pessoais que seus aplicativos coletam, principalmente o Chrome.

O DuckDuckGo, um buscador com foco em privacidade, criticou o Google por conta da quantidade de informações coletadas. "Após meses de espera, o Google finalmente revelou quantos dados pessoais eles coletam no Chrome e no Google app. Não admira que eles quisessem esconder isso. Espionar usuários não tem nada a ver com a construção de um ótimo navegador ou mecanismo de pesquisa", afirmou.

Uma imagem anexada pelo buscador em sua postagem comparou o rótulo de privacidade da DuckDuckGo na App Store com Chrome e aplicativos do Google. O rótulo da DuckDuckGo indica que ele não coleta nenhum dado vinculado à pessoa —o que não pode ser dito para os aplicativos Google e Chrome.

O Google Chrome coleta atualmente dados como:

  • Localização (GPS) do aparelho;
  • Histórico de navegação;
  • Informações financeiras;
  • Endereço físico da pessoa;
  • Email da pessoa;
  • Número de telefone;
  • Informações de pagamento;
  • Histórico de pesquisas;
  • Histórico de páginas web acessadas;
  • Lista de contatos telefônicos;
  • Dados de uso da conexão de internet;
  • Fotos, vídeos e "outros conteúdos de usuário";
  • Dados de performance e diagnóstico do aparelho usado (por exemplo, as vezes em que o sistema "travou").

Alguns destes dados são coletados para fins de publicidade personalizada, outros para análise e personalização do produto (no caso, o Chrome) e mais alguns para incrementar funcionalidades de outros apps.

De acordo com o site The Hacker News, uma análise das coletas de dados pelos aplicativos do Google divulgada pela empresa de armazenamento em nuvem pCloud apontou que 52% dos aplicativos compartilham dados das pessoas com terceiros, com 80% dos aplicativos usando os dados coletados para "comercializar seus próprios produtos no aplicativo" e entregar anúncios em outras plataformas.

Rótulos de transparência

Em dezembro do ano passado, a Apple começou a adicionar notificações que especificam quais dados pessoais são coletados pelos aplicativos que oferece em sua loja e como são usados.

A Apple havia prometido, em junho de 2020, oferecer a quem desejar baixar aplicativos em seus sistemas operacionais ou plataforma de TV um resumo claro de como planeja explorar seus dados.

Os rótulos de privacidade da Apple Store são divididos atualmente em três seções: "dados usados para rastreá-lo", "dados vinculados" e "dados não vinculados".

O Google demorou quase três meses para usar o recurso, deixando tanto o app do Google quanto o Chrome sem atualizações.