PUBLICIDADE
Topo

Mulher mantida presa em MG pede ajuda via Google e é resgatada pela polícia

Mulher escapou ao usar questionário do Google Maps para pedir socorro - iStock
Mulher escapou ao usar questionário do Google Maps para pedir socorro Imagem: iStock

Marcellus Madureira

Colaboração para Tilt

31/01/2020 15h26

Sem tempo, irmão

  • Mulher pediu ajuda pelo Google Maps para se libertar de cárcere privado em MG
  • Homem de 34 anos foi preso após mensagem de ajuda na cidade de Juiz de Fora
  • Mulher foi obrigada a passar a noite em um banquinho fora de casa e pediu ajuda
  • Companheiro chegou a quebrar celular dela após saber que foi usado para o socorro

A Polícia Civil prendeu um homem de 33 anos acusado de manter a companheira, de 34 anos, em cárcere privado, em Juiz de Fora, interior de Minas Gerais. A mulher pediu ajuda no Google para conseguir escapar da situação que vivia.

Segundo a delegada Ângela Fellet, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, na noite da última terça-feira (28), a mulher foi obrigada a passar a noite em um banquinho fora de casa, sentada, enquanto o homem a olhava.

A vítima então aproveitou para pegar o celular e utilizar questionários do Google para falar sobre sua situação. Ela entrou na plataforma do Google Maps e procurou pela delegacia da mulher.

Na opção "perguntas da comunidade", fez o pedido de socorro. Na quarta-feira (29), logo pela manhã, os investigadores souberam da denúncia na plataforma do Google e iniciaram o trabalho.

"Ele não deixou ela dormir dentro de casa. Ela pegou o celular, acessou a internet e encaminhou perguntas sobre como sair de casa, pois o marido a ameaçava e não permitia que ela saísse do imóvel", disse Fellet.

Antes de ser pego pela Polícia Civil, o suspeito ainda estragou o celular da mulher jogando água, ao perceber que ela tinha utilizado o telefone para fugir do cárcere.

De acordo com os policiais, o relacionamento já durava dois anos e a mulher relatou agressões físicas e verbais durante esse tempo. Além disso, ela também falou sobre ameaças psicológicas.

"Ela saía de casa de 15 em 15 dias para fazer uma faxina, mas só poderia ir caso a filha mais velha acompanhasse e o homem ainda colocava horário para sair e chegar em casa. Ele seguia a vítima como forma de controle. Se ela não acatasse, ameaçava de agressão ou morte", acrescentou a delegada.

O casal tem um filho de um ano juntos. Tilt tentou contato com a mulher, mas não conseguiu falar com ela.

O homem foi preso em flagrante. A reportagem tentou contato com a defesa dele, mas também não teve respostas.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS