PUBLICIDADE
Topo

Facebook deleta contas falsas de rede pró-Trump que atingia 55 milhões

Presidente dos EUA, Donald Trump, durante comício em Battle Creek, no Michigan - LEAH MILLIS
Presidente dos EUA, Donald Trump, durante comício em Battle Creek, no Michigan Imagem: LEAH MILLIS

21/12/2019 13h24

Sem tempo, irmão

  • Facebook desativou contas e páginas de rede de manipulação de informação
  • Esses perfis buscavam publicar notícias falsas a favor do presidente Trump
  • Para enganar, tinham até foto gerada de americanos por inteligência artificial
  • Ao todo, as contas e páginas interagiam com 55 milhões de pessoas

O Facebook informou nesta sexta-feira (20) ter desativado duas operações separadas de manipulação de opinião pública, incluindo uma rede estabelecida no Vietnã e nos Estados Unidos que influenciava americanos com mensagens a favor do presidente Donald Trump, que interagia com 55 milhões de pessoas.

A empresa indicou que cancelou mais de 600 contas no Facebook e no Instagram. Essas páginas, grupos e perfis basicamente compartilhavam conteúdo do grupo de mídia do Epoch Times (vinculado ao movimento espiritual do Falun Gong, proibido na China), e do BL, uma organização americana favorável a Trump.

"[As pessoas envolvidas nesta campanha] usaram amplamente perfis falsos, muitos dos quais foram automaticamente bloqueados por nossos sistemas, para gerenciar suas páginas e grupos, publicar automaticamente em uma frequência muito alta e redirecionar os usuários para outros sites
Nathaniel Gleicher, chefe de cibersegurança do Facebook

A plataforma também observou que alguns perfis publicaram fotos geradas por tecnologias de inteligência artificial, para se passar por americanos.

Compartilharam textos, imagens e montagens sobre questões políticas dos Estados unidos, desde o processo de impeachment apresentado contra Donald Trump no Congresso, passando por religião, comércio e valores familiares.

A outra operação desmontada pelo Facebook foi realizada na Geórgia e abordou os moradores deste país do Cáucaso abalados nas últimas semanas por uma profunda crise política.

Em outubro, a rede social anunciou que havia bloqueado quatro operações de manipulação de opinião realizadas por grupos que fingiam ser usuários e eram apoiadas pelo Irã e Moscou, além de uma operação de desinformação direcionada da Rússia para vários países africanos.

Facebook