Topo

Califórnia vai à Justiça para obrigar Facebook a fornecer informações

A Califórnia começou a investigar o Facebook em 2018, após a revelação do escândalo da Cambridge Analytica - Shutterstock
A Califórnia começou a investigar o Facebook em 2018, após a revelação do escândalo da Cambridge Analytica Imagem: Shutterstock

Da AFP em San Francisco

09/11/2019 15h33

O procurador-geral da Califórnia foi à Justiça nesta quarta-feira com o objetivo de forçar o Facebook a fornecer a documentação necessária em uma investigação sobre suas práticas de privacidade.

"Em um ano e meio, emitimos sete pedidos para obter documentos e respostas do Facebook, a fim de determinar se a empresa violou as leis de privacidade ou acesso de terceiros aos dados do usuário", disse Xavier Becerra, procurador do estado americano, em uma entrevista coletiva.

Mas a resposta da gigante da mídia social foi "muito inapropriada", de acordo com o procurador, que culpa a empresa por não ter "fornecido, ou mesmo pesquisado, os e-mails de Mark Zuckerberg e Sheryl Sandberg (respectivamente números um e dois) do grupo", afirmou.

"Não temos escolha a não ser pedir ao tribunal que force o Facebook a responder adequadamente aos nossos pedidos", disse Becerra.

"Cooperamos amplamente com a investigação do estado da Califórnia e, nesta etapa, proporcionamos milhares de páginas de respostas escritas e centenas de milhares de documentos", garantiu Will Castleberry, vice-presidente do Facebook.

A Califórnia começou a investigar o Facebook em 2018, após a revelação do escândalo da Cambridge Analytica.

Facebook