PUBLICIDADE
Topo

Letícia Piccolotto

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

IA ameaça emprego no setor público? Debate vai evitar previsão catastrófica

rawpixel.com/ Freepik
Imagem: rawpixel.com/ Freepik
Conteúdo exclusivo para assinantes
Letícia Piccolotto

Letícia Piccolotto especialista em gestão pública pela Harvard Kennedy School, presidente da Fundação Brava e fundadora do BrazilLAB, primeiro hub de inovação que conecta startups com o poder público. Em 2020, foi a única brasileira na lista das 20 principais lideranças mundiais em GovTech da Creators, laboratório de inovação sediado em Tel Aviv (Israel).

06/11/2021 04h00

O Brasil sediará o maior evento de inovação pública da América Latina. Uma iniciativa da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP), a sétima edição da Semana de Inovação tem como tema "Ousar Transformar", e acontecerá de forma virtual, online e gratuita, entre 9 e 12 de novembro.

Em 2020, o evento reuniu mais de 20 mil pessoas de todos os lugares do Brasil e do mundo, que puderam acompanhar os 400 palestrantes e as mais de 200 horas de conteúdo. Temos razões para acreditar que este ano não será diferente.

A Semana de Inovação contará com especialistas que são referência nos temas de inovação e tecnologia no setor público. Dentre as presenças confirmadas estão Cláudia Lopez, prefeita de Bogotá (Colômbia), Jimmy Wales, fundador da Wikipedia, Salman Khan, fundador da Khan Academy, Mariana Mazzucato, autora do livro "O Estado Empreendedor", e Stephen Pinker, professor de Harvard e um dos principais pensadores da atualidade.

Assim como no ano passado, terei a oportunidade de participar da Semana de Inovação representando a Fundação Brava e nossa parceria com a Universidade de Oxford.

Os últimos dois anos mostraram a importância da gestão de pessoas no setor público.

Como já discuti aqui, sem os servidores públicos responsáveis por implementar os mais distintos serviços essenciais durante a pandemia, seus efeitos seriam ainda mais catastróficos.

Ao mesmo tempo, estamos diante de mudanças aceleradas e que podem ressignificar a forma como os governos e as pessoas que nele atuam trabalham e implementam serviços públicos.

Pensando nesse desafio, elegemos como tema prioritário para 2021 a gestão de pessoas no governo diante da transformação digital.

Em parceria com o People in Government Lab, um centro de pesquisa criado em 2019 pela Universidade de Oxford com o objetivo de ampliar o desempenho e motivação das pessoas que trabalham nos governos, apresentaremos duas mesas de discussão na Semana de Inovação da ENAP.

A primeira mesa será liderada por Margarita Gómez, diretora executiva e fundadora do People in Government Lab. Com o tema "colocando as pessoas no centro do governo", a atividade contará com a participação de representantes do Reino Unido e Brasil para discutir como os governos podem criar políticas para ampliar a motivação, a efetividade e a responsividade de servidores públicos nas mais diferentes funções.

Esse é um dos temas mais atuais e relevantes, especialmente diante de iniciativas que estão em discussão no Congresso Nacional, como a reforma administrativa.

Na segunda mesa discutiremos o impacto que a transformação digital trará para as profissões do setor público.

Com o surgimento de novas tecnologias, especialmente a inteligência artificial, muitas tarefas e ocupações correm o risco de serem automatizadas e, portanto, eliminadas. Mas pouco se sabe ainda sobre a provável magnitude e distribuição dessas mudanças.

Para evitar previsões catastróficas e pouco embasadas, a mesa "Medindo o potencial de automação das ocupações do setor público" debaterá os desafios da incorporação de inteligência artificial no setor público, a partir dos resultados de pesquisas e iniciativas realizadas no Chile, Colômbia e Reino Unido.

——

A programação da Semana de Inovação da ENAP está imperdível e você pode acompanhar todas as atividades e se inscrever para as palestras aqui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL